Segundas Musicais #186

Olá, pessoas!

Sabe aquela semana que começa na correria? Essa aqui já mostrou que vai ser “diferenciada”.

Então, bora de playlist com corrida, correr e todas as formas da palavra! #SouDessas

#SomNaCaixa

01. OneRepublic – Run

02. BTS – Run

03. Adam Lambert – Running

04. Lady Antebellum – Run To You

Até a próxima! =]

Pessoa-Remédio

Pode parecer estranho pensar na expressão, mas não tem gente que é tipo um remédio na nossa vida? Aquela que cura os machucados, tristezas, coisas às vezes invisíveis para olhos menos preparados?

Podem ser amigos, familiares ou até um desconhecido que faz uma gentileza num dia completamente aleatório.

O mundo tá cheio da galera-remédio. Sempre agradeço por ter a minha própria farmácia. Sou cercada de humanos maravilhosos que são parte do meu tratamento.

Vale ressaltar que os pets também entram na categoria medicinal com o poder curativo de seus afagos, ronronos, olhares fofos e até os julgadores.

Mas que alegria é ter à nossa volta pessoas que estão ai para apoiar e trazer medicina convencional não consegue. (Lembrando que remédios não são substituíveis, esses humanos são complementos, tá?)

São calmantes quando precisamos controlar as tensões do cotidiano. Liberam as nossas vias quando perdemos o ar frente às pressões.

Aliviam as dores em horas nas quais sentimos que apanhamos das demandas, internas ou externas.

Desembaçam a visão quando toda a fumaça do mundo nos impede de enxergar até o que está na nossa cara. Desentopem os ouvidos no nomento em que eles fecham com a quantidade informação recebida.

Sem bula ou efeitos colaterais, com uso diário, semanal, mensal (dependendo do calendário), essas pessoas são bálsamos dos quais temos a sorte de nunca precisar de receita para adquirir.

Obrigada a todas as minhas pessoas-remédio. Vocês são o tratamento alternativo para as agruras da minha vida!

Segundas Musicais #185

Olá, pessoas!

Bora animar a semana com aquela playlist direto da trilha sonora de adaptações literárias?

#SomNaCaixa

01. Wrecking Ball – Midnite String Quartet [Bridgerton]

02. Quiero Que Vengas – Amaia

03. Leda – Dickon Hinchliffe (The Lost Daughter)

04. Lovesick – Peace (Heartstopper)

Até a próxima!! =]

Nunca o Suficiente

Sinto como se todo dia fosse uma batalha perdida com você.

Se eu estou correndo, ainda parece que é devagar demais.

Se tenho uma grande ideia, parece sem sentido.

Se eu cometo um erro, é o fim do mundo.

Todos são responsáveis pela infelicidade que o mundo te traz. Nunca seremos o bastante para que tenha uma existência plena. E isso é difícil de lidar.

Não importa o que eu faça, nunca consigo chegar perto das suas expectativas.

Sejam as minhas escolhas, atitudes ou qualquer traço da minha personalidade.

Constantemente, sinto como se fosse uma peça completamente errada nesse quebra-cabeça.

Um triângulo tentando se encaixar no espaço de um quadrado.

Não sei se as minhas decisões são as piores possíveis, se eu sou uma pessoa inadequada de todas as formas possíveis ou se as suas expectativas estão altas demais.

Parece que, quando tento me equilibrar, você encontra uma maneira de me desmontararcomo uma Jenga. Minha estrutura é instável…

Mais uma vez, recolho todos os meus caquinhos do chão. Pensando onde foi que eu errei (revivendo o que você considera o equívoco). Remoendo aquilo que fiz ou que deveria ter feito.

Pensando em como as coisas seriam diferentes se eu fosse por outro caminho.

Mas não tem jeito, sempre fracasso. Cometo mais um erro no seu grande caderno de vacilos que são as minhas atitudes diárias.

Sei que, no fundo, não consegue controlar isso. É mais forte do que você. Mas, se soubesse como os meus pedaços já estão estilhaçados a ponto de alguns deles não se encaixarem nunca mais, será que faria algo diferente? Seria menos exigente? Conseguria separar o que é seu e o que é dos outros?

E termino essas, dividindo a culpa por coisas que nem sempre são minhas, somatizando aquilo que você me fez entender como falhas. Eu te amo, mas tem alguns momentos em que esse fardo é pesado demais.

Gostaria de, um dia, chegar a um lugar comum em que não houvesse tanta pressão, de nenhum lado. Um espaço seguro para que você não precise se perder dentro da sua própria escuridão e nos levar para o fundo do poço de cobranças. 

Desejo que um dia, eu seja o suficiente para te dar orgulho e alegria.

Segundas Musicais #184

Olá, pessoas!

Segundou com mais uma playlist inspirada no dia de ontem (no qual eu pude participar de uma atividade que envolveu músicas de banda que eu adoro!).

Bora lá? #SomNaCaixa

01. O Bardo e o Banjo – Aquela Estrada

02. Dan & His Rockers – Why

03. The Killers – Mr. Brightside

04. Charlie Brown Jr – Lugar ao Sol

Livroterapia

A crônica mudou até de dia essa semana, mas é por uma boa causa.

Vamos celebrar uma data muito importante (por vários motivos). É aquele momento em que nós agradecemos por todas as histórias e seus autores. Seres iluminados que criaram universos, personagens e narrativas que nos acompanham, acolhem e acalentam em momentos bons e ruins.

Não sei o que seria de mim sem a literatura. Esses companheiros que parecem silenciosos quando observados nas estantes, mas são cheios de vida, sons e alegrias. Trazem em suas páginas um mundo completo, conhecimento, amor e ranço (sempre tem aquele plot tenso)

Impossível não ser grata por tantas horas que eu precisei me isolar de tudo e de todos, quando o barulho da realidade era alto demais e eu só precisava me esconder nos corredores de Hogwarts ou entre alguns arbustos no País das Maravilhas até que pudesse conviver em sociedade novamente.

Graças aos livros, todos os meus parafusos, que estão dentro da sala de aula da quinta série que é a minha cabeça, podem não estar em seus devidos lugares, mas pelo menos estão reunidos mesmo espaço. (Assim como os alunos, estão em pé, conversando com os colegas…)

Cada nova história que me envolve, trama cativante que me deixa de cabelos em pé ou sem conseguir dormir para saber o que vai acontecer. Todas as linhas, parágrafos, pontuações. Elementos importantes, são as partes que compõe a minha terapia literária. Os semi-psicólogos da minha existência (e dividem o trabalho árduo com a minha psicóloga de verdade. xD)

Mais do que uma crônica, aqui é uma carta de agradecimento. Pelas aventuras vividas e aquelas que ainda virão. Pelas lágrimas que me viram derramar, os sorrisos que trouxeram. Pela disponibilidade eterna para me levar até algum lugar bem longe sempre que precisei.

Além disso, é uma semana especial para as crônicas. Foi no Dia do Livro de 2019 que a primeira delas foi publicada. São 03 anos de outro tipo de terapia semanal. Assim como os livros, a escrita é uma forma de desopilar o fígado e compartilhar os pensamentos.

Para todos os leitores, vamos comemorar com os nossos livros favoritos. Relendo, indicando para alguém, presenteando ou somente conversando sobre eles. (Para que esse hábito cresça nas casas brasileiras). Aos autores, força nessa luta diária de levar ao público suas criações. Não é fácil, mas temos muita gratidão por todo o esforço!!