Eu… eu sou uma menininha. — respondeu Alice, bastante insegura, lembrando-se do número de mudanças que sofrera aquele dia.

Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll.

A Tempestade #Resenha

Título/Autor: A tempestade, William Shakespeare.

Foto: Site L&PM

Avaliação: Já é a segunda vez que me preocupo com a água nas histórias desse clássico autor. xD

Olá, pessoas!

Chegando mais um clássico que eu pude aproveitar o áudiolivro enquanto realizava outras atividades #multitarefa!

Percebi que esse tipo de livro, os que têm formato de peças, são bem legais para se ouvir (ainda que eu goste muito de ler nesse tipo de estrutura)

A tempestade narra a história de Próspero, um ex-duque que foi enviado ao mar com sua filhinha após o seu irmão armar um golpe para tirá-lo do poder. O plano era que ele simplesmente não sobrevivesse, mas, não deu certo. O homem e sua filha terminaram isolados em uma ilha por 12 anos!

Sobre essa ilha, eu só conseguia ler e pensar em Lost. Sabem o que mais e encontrado nessa trama? Magia! Sim, a história é cheia de elementos mágicos!

Próspero, nos seus tempos de Duque, preferia a companhia dos livros às burocracias políticas, dessa maneira, leu tudo o que existia na Biblioteca de seu castelo, incluindo livros sobre todos os elementos. Inclusive, ele tem poderes. É um mago! Quando é traído por seu irmão, ele vai parar numa ilha na qual acaba libertando um espírito aprisionado com poderes de gênio, Ariel, e Caliban, um homem disforme.

Doze anos após a sua chegada à ilha, surge uma oportunidade única. Seus inimigos (o irmão, Antonio e Alonso, Rei de Nápoles), estão no mar, retornando de um casamento. Próspero cria, junto de Ariel, um naufrágio para que possa trazê-los à ilha e se vingar.

Durante a trama, vemos a interação de Miranda, já com 15 anos e o filho do Rei de Nápoles, uma união inesperada de tripulantes com Caliban, que quer tirar Próspero do poder (ele comanda a ilha e o homem é seu servo), além disso, as tentativas de Alonso, Antonio e Gonçalo de sobreviverem às intempéries do lugar.

Tudo isso se passa no curso de poucas horas, tantas acontecimentos em uma história que tem como raiz a vingança que Próspero tanto deseja, mas se mistura com uma narrativa de primeiro amor, elementos fantásticos e, principalmente, perdão.

Sem dar mais spoleirs por hoje, gente! xD

Quem aí já leu? Contem o que acharam nos comentários!

Notas da Audiovizueira nº 21

Sabe como eu sei que uma série foi impactante?

Quando eu preciso escrever sobre ela após terminar (seja uma maratona ou uma visualização de episódios de forma ágil ao longo de algumas semanas – que não é, tecnicamente, uma maratona, mas engloba assistir por muito temo a mesma coisa)

Quanto mais difícil para me desapegar dos personagens, da trama, no universo, mais eu sei que o conteúdo criado foi excepcional (na minha humilde concepção de audiovizueira apaixonada por produções cativantes)

Esse foi o caso de Parks & Recreation. A série, criada por Greg Daniels e Michael Schur, mentes que trouxeram ao mundo a adaptação do The Office e, principalmente, o humano responsável pela criação de uma das minhas séries favoritas da vida, The Good Place (Michael Schur).

Ok, agora chegando ao ponto, o que há é tão cativante a história, quais os acontecimentos importantes e porque eu vou indicar para todas as pessoas sempre que puder?

Trama

Numa simplificação, a série trata sobre a vida de uma funcionária pública e seu departamento. No entanto, é muito mais que isso. O programa fala sobre amizade, aliás, a interação de Leslie e Ann logo no primeiro episódio foi uma escolha dos criadores para explicar a linha que seria percorrida ao longo dos episódios.

E é isso mesmo, com altos e baixos na carreira ou na vida pessoal, juntando momentos impagáveis com atividades inerentes à vida no ambiente de trabalho, Parks segue. no formato mockumentary (documentário de zueira, para os íntimos), um grupo grande de personagens. Ainda que seja focado num núcleo pricniapl, diferente de outras produções, todos têm os seus momentos de glória, conhecemos os hábitos e sabemos como cada um agiria em uma situação especifica. Torcemos pelas suas conquistas e nos compadecemos com as suas derrotas.

Uma das minhas partes favoritas é esse desenvolvimento. Ainda que não tenham tanto tempo de cena, nós conhecemos essas pessoas.

Fator Cativação

  • Baita elenco talentoso. Tem herói da Marvel, tem comediante do SNL, galera de stand up. E cada um traz atributos especiais à trama.
  • Um grupo de criadores e roteiristas genial e uma produção demais. (gente que trouxe ao mundo do audiovisual: The Offce US, The Good Place e Brooklyn 99)
  • A série é cheia de histórias que te farão entrar no universo de Pawnee. Cê vai acreditar que a cidade existe e isso vai te levar a outro nível de experiência. (Que, ao que tudo indica, tá no universo compartilhado de outras séries dos mesmo autores/criadores)
  • Participações especiais: tem uma galera famosa (e parças dos criadores) que aparece aí. Andy Samberg, Ben Schwartz, Jason Mantzoukas, Will Forte, Kristen Bell, Dax Shepard e muitos outros!
  • Fiquei muito apaixonada e torcendo para que um dia pessoas como a Leslie consigam fazer mudanças significativas no mundo.

Desenvolvimento de Personagens

  • Mesmo com tantas histórias, linhas narrativas e peculiaridades, diferente de alguns seriados que eu já vi, deu para trabalhar um pouco de cada protagonista, ainda que alguns tenham mais espaço e histórias. Poucos ficaram com aquela sensação de ‘tá, beleza, mas podia ter um pouquinho mais”
  • Relacionamentos: amizades, amores, brigas e reparações. Tem de tudo, desde a essência que é a ligação entre a Leslie e a Ann a partir de um problema com uma cratera na rua, casais que se formaram, terminaram e voltaram. Alguns relacionamento tóxicos…
  • Piadas recorrentes: o coitado do Jerry, todo atrapalhado, sofre com os colegas. O Ron, com sua casca dura insistindo em errar o nome das pessoas de propósito, entre outros.

Extras

Erros de gravação: a série tem uns erros de gravações ótimos, incluindo um em que eles trocam os personagens da abertura por um pônei e outro que alguém da produção

Gifs

Sério. Não existe nada mais daora do que poder aproveitar gifs engraçados com os seus personagens favoritos para qualquer momento em uma conversa.

E Parks tem uns gifs que são geniais. (tô olhando pra você, Ron de mini chapéu).

Tempo investido

São 7 temporadas. Maaaaaas, pensando positivo, a primeira temporada tem só 06 episódios e a última é mais curtinha. (Ok, são vários episódios ainda, só que são maravilhosos!).

Acho que eu já falei muito, né? #Fangirl

Alguém aí já assistiu? O que achou? Conte nos comentários.

Até a próxima. =]

Experiências (teóricas) de vida

Sempre ouvi dizer que para contar boas histórias é preciso viver grandes aventuras.

Ter amores, viagens, vivências inusitadas…

Bom, também já soube de autores que criaram grandes tramas sem saírem do perímetro do suas residências.

E o que vale mais? A teoria ou a prática?

Na realidade, não acredito que seja uma competição, mas, para uma pessoas que não tem tantas milhas percorridas nesse mundão, quero asseguram a todos que tá tudo bem.

Diferente daquilo que pode nos causar pressão e nos bombardear a ansiedade, não temos que sofrem por, na realidade, não termos sofridos os grandes altos e baixos que vemos na vida dos coleguinhas.

Ter exemplos é ótimo, mas sejamos as nossas próprias bússolas.

É bom colocar a cara no mundo e tentas coisas diferentes, mas o dia a dia, até o mais rotineiro e Às vezes monótono, também é uma aventura. Acordar, enfrentar seus medos, ir à luta pelo que gosta, também é um desafio e uma experiência válida.

Todo dia é uma oportunidade de fazer algo novo, se você quiser. E pode ser dentro do seu próprio universo. Só não deixe de viver por medo de não ser o Mochileiro das Galáxias, o Desbravador do MAres Distantes.

Viva seu melhor. Aproveite cada momento e saiba que isso já é o suficiente.

Grandes ou pequenas, todos temos as nossas aventuras. Sejam elas vividas no mundo real ou ambientadas em páginas de livros e filmes.

Como nós absorvemos todas as informações e transpormos para a nossa vida e relacionamentos é o mais relevante.

Então, nessa prova da vida, vale ter o conhecimento prático ou teórico. O importante e não deixar de buscar por ele, nunca!

Foto por cottonbro em Pexels.com

Segundas Musicais #127

Olá, pessoas!

Chegando quase na metade de setembro (mais algumas semanas até termos que acordar o Billie Joe), com um calor impressionante e pernilongos por toda parte. Que tal umas músicas que lembram essa temperatura/clima? (Calor, sool. veão.. mesmo estanod longe da estação ainda…)

#SomNaCaixa

01. Beatles – Here Comes The Sun

02. Calvin Harris – Summer

03. Roupa Nova – Canção de Verão

04. Two Door Cinema Club – Sun

Espero que curtam! Boa semana, gente! =]