Queria que existisse um curativo para cicatrizar Feridas não visíveis

“Sem você virei poesia”, Dayana Araújo

Notas da Audiovizueira nº27

Oie, gente!

Que tal mais uma publicação temática para a semana do Dia das Bruxas? (não necessariamente com conexões literárias).

Aqui vão alguns filmes que estão no tema, mas que não vão (espero eu) causar muitos pesadelos.

Bora lá!

01. O Halloween do Hubie

Hubie é um morador que se preocupa muito com sua cidade, Salem. Ele constantemente está dando aviso sobre os menores incidentes e normalmente é motivo de piada entre os moradores. No entanto, quando uma morte real acontece, ele acaba como o único a levar a situação a sério e pode se tornar a salvação de Salem.

02. Goosebumps: Monstros e Arrepios

Baseado na série de livros, conta a história de um adolescente que muda-se para uma cidade pequena e, sem querer, acaba soltando uma série de monstros que viviam guardados nos manuscritos de um autor. Com isso, precisa se juntar a um grupo de pessoas para prender todos os seres que estão circulando por aí.

03. Abracadabra

Três bruxas do mal que foram aprisionadas no século 15 são libertadas na noite de Halloween e fazer de tudo para manter a sua juventude! (e ficar aqui na terra pra sempre)

04. O estranho Mundo de Jack

Essa animação conta a história de Jack Skellington, o Rei das Abóboras. Um dia, ele decide que não quer mais cuidar do Dia das Bruxas e vai embora da cidade. Sem querer, passa pelo portal do Natal. Maravilhado, decide que a melhor ideia é sequestrar o Papai Noel para que possam criar o Natal em sua cidade.

Espero que curtam. Até a próxima!

Máscaras

Ao redor, um mar de pessoas. Cada vez menos reconhecíveis.

Escondidas por trás de máscaras distintas.

Mas com a mesma intensidade no olhar.

Os mesmos medos. Só que agora, não consegue distinguir o rosto do que a assusta.

Todos viram uma parada de máscaras, como um desfile de novas forma, traços e cores.

Protegidas por camadas de tecido. Estão por todos os lados. A cada esquina, em cada carro.

Olhe para a frente. Para trás, estão todos aí.

Máscaras. Enfileiradas. Coloridas. Pretas, brancas.

Faltam sorrisos. Sobram olhares. Como expressar tantas sentimentos nas nossas janelas para o mundo?

Sempre estivemos mascarados, não é mesmo? Todos os dias, saíamos de casa colocando no rosto uma representação de nós mesmo.

Nossas máscaras de trabalho, sérias, responsáveis. Que tentam equilibrar as rugas de preocupação com o sorriso de nervoso. E trazem o semblante de orgulho quando algo dá certo.

A máscara social. Que usamos com os amigos, nos rolês. Nos romances. Como queremos que nos vejam de forma extrovertida ou como alguém que se sente confortável naquela situação. Seja uma grande festa ou um pequeno grupo de amigos num jantar.

Aquela que usamos para o amor. A que tentar expressar tudo o que temos em nosso coração, os sentimentos calorosos e, às vezes, os dolorosos.

A familiar. Quando temos que provar nosso crescimento, mas também demonstrar os sentimentos. Quando precisamos ser a voz da razão ou voltarmos a ser criança e fazer arte (e tomar bronca).

Temos tantas faces, escondidas, trocadas, selecionadas conforme as necessidades, cais, grupos.

E estamos, o tempo todo, buscando a ideal ou aquela que parece mais natural.

Mas, o que está embaixo dela? Quando não precisarmos mais utilizá-las. O que sobrará? Saberemos reconhecer aquele rosto?

No momento, devemos usar somente a máscara física. Aquela que nos protege e protege os outros. Mesmo assim, podemos aproveitar o momento para repesar naquelas que são “invisíveis”, que usamos para nos proteger DOS outros.

Será que são todas de uso obrigatório? Não seria bom mostrar o rosto para algumas pessoas de confiança? Uma parte de cada vez (caso dê medo de apresentar o todo).

Todos temos as nossas questões. E vamos trabalhando as poucos. E pedacinho por pedacinho, seremos inteiros, sem precisar nos esconder daqueles que amamos e nos amam.

Bora só usar as máscaras de saúde. As outras, a gente vai resolvendo com o tempo!

Texto levemente inspirado em Masquerade, do Fantasma da Ópera/ atual situação do mundo… #Misturaaaa

Foto por Ibolya Toldi em Pexels.com

Segundas Musicais #133

Olá, gente!

Bora pra última semana de outubro (isso mesmo, mais um mês acabado, nem acredito).

E, com o fim do mês, vem uma data que já se popularizou aqui no Brasil, o Dia das Bruxas (31/10)!

Por isso, hoje a playlist é temática!

#SomNaCaixa

01. Ray Parker Jr. – Ghostbusters

02. Spooky Scary Skeletons

03. Michael Jackson – Thriller

04. The Nightmare Before Christmas – This is halloween

Espero que curtam! Até a próxima! =]

Podem até existir dias chuvosos sem você Mas lhe garanto que encontrarei meu arco-íris com potinho de ouro ao final

“Sem você virei poesia”, Dayana Araújo.

Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.

“Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo” – Benjamin Alire Sáenz