Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre.

Charles Chaplin

Bee and The Puppycat #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200813-205008_1.jpg

Título/Autora: Bee and the Puppycat V.1, criado por Natasha Alegri

Avaliação: Tentando descobrir se o meu gato não tem algum poder.

Oie, pessoas!

Hoje tem aquele quadrinho curto para quem curte coisas fofinhas e quer dar aquela treinada marota no inglês (porque não tem nada melhor do que testar uma língua que você não domina com atividades divertidas como leitura, não é?).

Passeando pelo universo de livros gratuitos que eu consegui “pegar emprestado” usando um negócio que não me patrocina, mas eu sou apaixonada, o Kindle Unlimited )eu falo dele pelo menos 8180010 vezes por semana…), encontrei essa maravilha.

Não só é uma gracinha como tem uma história surreal e divertida (e no primeiro bloco tem uma interatividade super criativa de QR Codes que levam a gente até um vídeo com música, para “entrarmos na cena”). É uma experiência multiplataforma.

O quadrinho é uma baseado na websérie de mesmo nome (que está disponível no Youtube) e conta a história de uma jovem, com seus 20 e pouquinhos anos, Bee, que encontra um serzinho que é híbrido de cachorro e gato, Puppycat. Ela está desempregada e precisa pagar o aluguel, então, os dois acabam aceitando diversos trabalhos temporários para poderem pagar o aluguel.

Seria uma trama normal se não fosse um gato/cachorro falante e os trabalhos serem, em sua maioria, em outros mundos. É, eles viajam pelo espaço, às vezes vão parar em mundo de criaturas fofinhas, outros que tem seres feitos de comida… mas também vão à loja de plantas e comem doces em piqueniques.

A série tem mais volumes (dois, no caso), mas esse primeiro já foi bem divertido e super rápido para ler.  E a arte é maravilhosa. São algumas histórias dentro desse volume e cada uma delas tem ilustradores diferentes e escritores (que colaboram com a escritora e criadora Natasha Alegri).

Fiquei muito apaixonada por todas as ilustrações e a forma como cada um criou o universo da Bee e o seu companheiro!

E ai, quem se aventura em uma produção em outra língua?

Se alguém conhece, conta o que achou.

Até a próxima.

A gente é levado a se mover sempre para frente, cada vez mais adiante, mesmo que não saibamos para onde.

Bobagens Imperdíveis para atravessar o isolamento: Crônicas fantásticas”, Aline Valek.

Notas da Audiovizueira #16

TopoNotasAudiovizueira-01

Oie, gente!

Passamos pela metade da semana e e aquele momento de encher a lista de indicações com as produções audiovisuais que bebem na fonte da literatura.

#BoraLá

01. Scott Pilgrim contra o mundo

O filme que parece mais um jogo de videogame foi inspirado nos quadrinhos de Bryan Lee O’Malley e é basicamente uma obra de arte! Sério, é uma produção brilhante que narra a história de um jovem adulto, Scott, que se apaixona por uma garota de cabelos coloridos chamada Ramona e precisa enfrentar os ex-namoradxs dela para que possam ficar juntos.
Disponível em: Amazon Prime Vídeo

02. Pessoas Normais
Essa série, indicada ao Emmy, inclusive, é baseada na obra de Sally Rooney e narra a história de Marianne e Connell e as suas “esbarradas” ao longo de diversos períodos.
Disponível em: Starz

03. Cursed – A Lenda do Lago

Uma das mais recentes séries da Netflix, a história acompanha Nimue, uma garota com o poder de se transformar na Dama do Lago.

Disponível em: Netflix

04. Anna Karenina

Adaptação do clássico de ‎Liev Tolstói, narra a trajetória de uma mulher, casado com um funcionário do governo e acaba se apaixonando por um oficial da cavalaria.

Disponível em: Telecine Play

Espero que curtam.

Até a próxima.

Casa Cheia

pexels-photo-2950003.jpeg

Consigo ouvir os primeiros sons vindos do quintal. O bom dia para os cachorros junto com algum tipo de resmungo sobre qualquer coisa simples.

Copos, itens para o café da manhã, a louça sendo lavada… começaram as atividades da casa.

Cada um tem seu horário, sua rotina. Nem sempre conseguem se ver.

Uns já precisam correr para trabalhar, jornada cedo. Café corrido. Uma bronca por não sentar para comer.

Portas abrem e fecham, assim como as torneiras. É um ecossistema que vive e funciona À sua maneira.

Tem bom dia longo, abraços, reclamações matinais. É o prelúdio para o novo dia.

Depois a programação segue normalmente. Trabalho, correria. Vida.

Longe por um tempo. Depois juntos. Depois longe. É a rotina. Ou era a rotina.

Quando unidos, risadas, falas altas.  Brigas, irritação.

Cantoria, piadas. Discussões.

Os milhares de animais fazendo a sinfonia, pedindo carinho, comida. atenção.

Resumindo: FAMÍLIA.

Panelas, máquinas, carros e televisão. Aquela série que um vê sempre. O jornal tenso que todos querem evitar. A rádio nossa de cada dia.

Já não é mais assim. A casa foi esvaziando. O distanciamento se tornou a nova realidade.

O endereço é o mesmo, mas os moradores, não.

Foi pensando em cuidados, em cuidar.

Separados, mas não isolados. Juntos, mas sem barulheira.

Não tem colher batendo na panela tão alto. Ou alguém chamando na escada.

A presença e o som fazem falta e a saudade ecoa no coração apertado. E o olho enche de lágrima.

Mas com uma chamada de vídeo aqui, uma visita segura ali (com altas doses de neurose). Tudo se alivia.

Depois volta ao novo normal.

E todo dia a gente pensa em como era quando a casa tava cheia.

Foto por Kelly Lacy em Pexels.com

Segundas Musicais #122

SegundasMusicais

Oie, gente!

Bora começar uma semana com uma playlist temática?

Em comemoração ao aniversário do grande autor brasileira, Jorge Amado, temos uma lista repleta de músicas inspiradas nas suas obras.

#SomNaCaixa

01. Lanterna dos afogados (Paralamas do Sucesso)
Jubiabá

 

02. Djavan – Alegre Menina
Gabriela, cravo e canela

 

03. Gal Costa e Tom Jobim – Gabriela

 

04. Selvagens À Procura de Lei – Massarrara
Capitães de Areia

Espero que gostem!

Até a próxima.