Sem Coração, Marissa Meyer #Resenha

Olá, pessoas!

Título/Autora/Editora: “Sem Coração”, Marissa Meyer. Rocco.

Avaliação: Sem coração tô eu depois de ler essa história. Sem coração para lidar com tudo o que aconteceu.

Bora tirar as teias de aranha das resenhas. Tenho lido muita coisa, mas não estava compartilhando as emoções por aqui. Vamos mudar isso! #TodosTorce

E, para começar, escolhi uma das minhas leituras favoritas de 2021. Foi uma surpresa enorme (mesmo que eu já imaginava que algo relacionado ao mundo de Alice no País das Maravilhas me cativaria) o quanto eu gostei dessa história e o tamanho da ressaca emocinal que eu fiquei ao terminar o livro.

Sério, de vez em quando eu penso nele e já me bate aquela lnostalgia. A vontade de esquecer tudo e ler como se fosse a primeira vez, sabe?

Escrito pela autora de uma série que eu estou louca para terminar (assim que ficar mais barato cada livro – Cinder), vem essa releitura, ou melhor, uma reimaginação da história de origem de uma conhecida personagem literária: a Rainha de Copas!

A parte mais irônica é a gente se cativar tanto por uma personagem e torcer por um final diferente daquele que já conhecemos tão bem.

Na trama da Marissa Meyer, Catherine é uma jovem diferente das outras. Ela não se importa com a atenção que recebe do rei ou a possibilidade de se tornar a próxima rainha do Reino de Copas. O que realmente deseja é abrir uma confeitaria com a sua melhor amiga (uma das empregadas de sua casa).

No entanto, a sua mãe não pensa em outra coisa a não ser torná-la uma rainha. Mesmo com todas as tentativas de Catherine de indicar que não é o que gostaria.

Enquanto a garota tenta juntar coragem e planeja a forma de tornar o seu sonho em realidade, o Rei decide cortejar Cath (para a alegria de sua mãe e tristeza da garota).

Na Terra de Copas, uma criatura maléfica assola os cidadãos e o rei, ao invés de lutar, tentar distrair a todos. E, falando em distração, chega a Copas um Bobo da Corte charmoso, Jest. Ele vira o centro das atenções de todos os eventos e Cath se sente intrigada e interessada pela figura.

Os dois se aproximam e vivem algumas aventuras juntos, inclusive, uma que contou com a participação de certos amigos que tomam chá.

Infelizmente, uma missão secreta e pressões familiares vão interferir com os planos dos dois. A interação dos dois e cada cena que parece se tornar realidade quando lemos (aquele tipo de descrição que nos deixa vendo um filme mental) faz com que essa história seja  impossível de largar! (Vale para a leitura e o pós-leitura. HAHAHAHAHA

Demorei semanas para superar o fim do livro. Indico demais para todos que são apaixonados por essas releituras de personagens clássicos.

Alguém ai já leu? Contem o que acharam ou qual clássico gostariam de ver reimaginado.

Até a próxima semana! =]

Fangirl #Resenha

image

Fangirl – Rainbow Rowell

Avaliação: Vomitando arco-íris e abrindo o fanfic.net para reler aquelas histórias Draco/Hermione ❤

Tive diversos autores e autoras favoritas durante essa minha vida, mas, atualmente, existe uma que tem um espaço maior no meu coração. Sim, a Dona Rainbow pegou uma britadeira e arrombou meu coraçãozinho com seus romances fofos e sua escrita dinâmica e cativante.

Se você ainda não leu nada dela vá AGORA pra livraria.
Brincadeira, pode só abrir uma nova guia no seu navegador e buscar no seu site favorito qualquer livro dela. Pode ir, eu espero aqui *aguardando*.

Tá, acho que já deu tempo.

Seguindo, Fangirl foi o segundo livro da Rainbow Rowell que eu li, mas foi o que me causou mais ~feels~. Como toda pessoa que cresceu com uma série, juntou recortes de jornais e revistas, usou fóruns e pesquisou sobre seus personagens, livros e filmes favoritos, eu me encontrei na Cath. Eu fui e serei sempre uma Cath.

A história narra a trajetória de duas irmãs gêmeas que vão
para a Faculdade. Durante muitos anos as duas foram aficionadas pelas séries do Simon Snow e escreviam juntas uma fanfic com dois personagens principais.

No entanto, ao entrarem na Faculdade, Wren decide mudar seu estilo, roupas e atitude (sem avisar sua irmã, aliás) e com isso, ela se afasta da paixão pelos livros e
filmes.

Cath, que ainda ama, escreve e cursa Literatura, não larga as fanfics. Aliás, as duas são muito famosas
no meio virtual. Conhecidas e reconhecidas pela excelente escrita.

Cath é tímida e vai morar no dormitório de uma garota do
segundo ano. Ela é tão envergonhada que passa as primeiras semanas comendo barrinhas de cereais e manteiga de amendoim. Só quando almoça com Wren, no outro lado do campus, ela tem uma alimentação normal.

A companheira de quarto de Cath, Reagan, é sociável e não muito sutil, assim, é ela quem pressiona e leva Cath até o refeitório mais próximo (que a garota não conhecia) e a arrasta para algumas festas.

Reagan tem um amigo de infância/namorado que frequenta a
universidade, Levi. Ele trabalha numa Starbucks e sempre está no dormitório das duas.
Ele e Cath convivem e acabam fazendo um tipo de amizade fofa (com direito a leituras de trechos de fanfics e um livro inteiro!! *__*).

Nas aulas de Escrita
de Ficção, aliás, essa matéria é avançada e não é qualquer aluno do
primeiro ano que tem coragem ou a capacidade de fazê-la, mas a Cath tem poderes e consegue entrar nessa
disputada aula! Cath conhece um rapaz, Nick, com quem acaba escrevendo. Os dois trabalham bem juntos e Cath sente-se atraída por ele (Quem não se sentiria atraída pelo cara que completa as suas histórias? Sério, tem que ter alguma coisa suspeita ai. Será? Será?).

Cath foca em suas histórias virtuais, enquanto Wren foca na vida social, às vezes até demais.

O pai das duas vive sozinho (já que a mãe delas saiu de casa
quando elas eram pequenas) e Cath sempre o visita em feriados e cuida dele.

A história acompanha o primeiro na de Faculdade das duas, o qmor por uma série (e como é chegar ao último livro, a nostalgia, a emoção e o
crescimento), além de mostrar o amor surgindo quando menos se espera, as amizades e o fortalecimento de relacionamos familiares.

Fangirl tem de tudo um pouco, juntando um romance lindinho,
diálogos divertidíssimos, muitos arco-íris vomitados e uma personagem na qual metade das ávidas leitoras (ou leitores), pelo menos, podem se identificar.

Indico a leitura e espero que todas as pessoas amem tanto
quanto eu.

Aliás, obrigo a todos, AMEM esse livro! =]

: