“Por que é necessário o fim de uma vida para se aprender a apreciar cada dia? Por que precisamos esperar até ficar sem tempo para começar a conquistar tudo o que sonhamos, quando um dia tínhamos todo o tempo do mundo? Por que não olhamos para a pessoa que mais amamos como se fosse a última vez que a vemos? Porque, se olhássemos, a vida seria tão vibrante. A vida seria tão verdadeira e completamente vivida.”

“Mil beijos de garoto”, Tillie Cole

Talvez porque às vezes tudo que temos são momentos. Porque não há repetições; o que acontece em um momento define a vida – talvez seja a vida.”

“Mil beijos de garoto”,  Tillie Cole.

Mil beijos de garoto #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200420-094709.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Mil beijos de garoto, Tillie Cole/Outro Planeta.

Avaliação: Vendo meu pote vazio…

Olá, gente!

A resenha de hoje, mais um dos livros que eu terminei com a maravilha que se chama e-book (sério, nunca vou trocar a bela sensação de um livro físico nas mão, mas a possibilidade de baixar vários livros, conforme a vontade, é GENIAL) é de uma obra do gênero Young Adult – quase não gosto, né?

A trama conta a história de Rune, um garoto norueguês que se muda para a Geórgia aos 5 anos e lá conhece Poppy. Ela é a vizinha dele e logo de cara já indica que ele parece um viking, o convoca para viver aventuras e já afirma que eles serão melhores amigos.

São retratados alguns momentos da vida deles. Quando se conhecem, com 5 anos. Depois, em um pulo temporal, aos 9, aos 15 e, por fim aos 17 (período em que há a maior parte da jornada deles).

O ponto chave do livro é um pote de beijos que Poppy recebe de sua avó (e grande amiga), aos 9 anos. Segundo a senhora, Poppy deve encher o recipiente com mil beijos de explodir o coração. Mas devem ser realmente especiais e do amor da sua vida, assim que ela teve com o avô da jovem.

E como o mundo é um lugar mágico, o amor pode, sim, estar ao seu lado (mais especificamente, na casa ao lado). Rune e Poppy se apaixonam e mantém, desde muito cedo, uma relação próxima. Vivendo suas aventuras, visitando o bosque com a árvore de cerejeira favorita, essa coisas fofas…

Melhores amigos e namorados, os dois têm um pé nas artes. Poppy é um excelente violoncelista e Rune um exímio fotógrafo.  A união deles é  linda (causa inveja em muitos já que Poppy é considerada mais fechada e excêntrica e Rune o bonitão nórdico), mas sofre um baque quando o garoto precisa, aos 15 anos, voltar para Oslo.

As consequências dessa viagem são um fator muito importante. E vão sacudir esse relacionamento. Incluindo brigas, uma confissão arrebatadora e laços familiares reatados.

O livro segue a trajetória desse  casal se uniu cedo e, desde sempre, correu atrás de cumprir aquilo que todos queremos, ter um amor de explodir o coração.

Essa história é de chorar, já aviso. A gente toma uns baques, reflete sobre a relação com a família, os amigos, namoro. Mas, principalmente, da valorização do tempo que temos nesse mundo e com/com quem decidimos passá-lo.

Já leram esse livro? Contem o que acharam!

Até a próxima! =]

 

 

 

“Esta vida… bem, ela é só uma grande aventura enquanto a temos. Uma aventura para apreciar e amar com todo o nosso coração antes de ir para a maior aventura de todas.”

“Mil beijos de garoto”, Tillie Cole.