Notas da Audiovizueira n° 42

Oie, gente!

Bora listar mais umas produções que enchem as nossas listas de literatura audiovisual?

Em homenagem ao 42, o primeiro filme é…

01. O Guia do Mochileiro das Galáxias

Pegue a sua toalha e vá viajar pelo universo.

02. A Bela e Fera

Saído das páginas dos contos de fadas, essa leitora enfrenta tudo pelo seu pai.

03. Emma

Jane Austen encanta o público nos livros e também em todas as adaptações deles.

04. Pessoas Normais

Reprise aqui na lista dessa série indicada a vários prêmios.

E aí, já viram algo da lista? Comentem aí embaixo.

Até a próxima!

Notas da Audiovizueira n°35

Oie, gente!

Hoje vamos falar de uma série super legal que eu vi recentemente.

Adoro histórias adolescentes com suas evoluções, neuroses e crushs. É tão nostálgico, mas, ao mesmo tempo, libertador saber que essa fase passou.

Em todo caso, bora pro “Eu Nunca”. Na trama, Devi é uma jovem que perdeu seu pai e, com o trauma, acabou numa cadeira de rodas. Como era uma questão psicológica, ela voltou, eventualmente a caminhar.

Agora, começando um novo ano no colégio, não quer ser lembrada como a garota traumatizada e sem pai. Quer ser descolada, sair e fazer coisas novas, além de se aproximar do garoto que gosta.

Junto com as melhores amigas, Fabiola e Eleanor e, às vezes longe, em ataques de egoísmo típico adolescente ela enfrenta a ansiedade de crescer e encontrar seu lugar no mundo. Outros personagens são o seu crush, Paxton e o arqui-inimigo, Ben.

Série da Netflix, criada pela Mindy Kaling, conhecida por The Office e The Mindy Project, narra a história de um jeito leve, divertido e que emociona. Tem inclusão e temas importantes.

Fala de amizade, amor, perda, medos, tradições, mágoas, superação e crescimento. Tudo de forma descontraída e sensível.

Durante os episódios, Devi precisa lidar com os sentimentos reprimidos em suas inusitadas interações com a terapeuta, aprender a importância da amizade e as grandes mudanças que acontecem na vida de todos. Entende o valor de estar presente para as pessoas amadas.

Alguém aí já viu? Conta o que achou.

Até a próxima! =]

Notas da Audivizueira n°30

Olá, gente!

Hoje vai ter uma resenha de série procêis! Algo novo na Netflix, mas que já conquistou muitos corações!

Começo admitindo que eu não vi a série brasileira, sei que preciso, não me julguem.

Maas, bora falar de Julie e os Fantasmas! Ela é curtinha (padrão streaming) e super fofa.

Em um dia eu já tinha terminado os episódios, é esse tipo de produção. (Mas eu sou suspeita nessas coisas porque adoro quando séries tem música, aprendizado e fofura).

E sobre o que fala? Vocês me perguntam… narra a trama de uma garota do ensino médio que perdeu sua mãe e com isso, seu amor pela música se esvaiu. (Incluindo seu declínio no programa de música do colégio).

Tudo isso muda quando ela, num dia em que foi limpar o espaço que era da sua mãe, encontra um cd e “libera” os fantasmas da banda.

Aliás, a banda é composta por jovens que iam fazer o primeiro show em um lugar importante, mas morreram ao comer cachorros quentes esquisitos.

Ao longo dos episódios, conhecemos um pouco mais sobre os personagens, curtimos as canções e nos cativamos por essas pessoas.

Após os sustos e brigas iniciais, Julie e seus fantasmas acabam juntos em uma banda.

Também tem um problema aí que acontece pra sacudir a vida (e a morte) do pessoal.

Não conheço o elenco (fora um dos coadjuvantes), porém, tem a assinatura do Kenny Ortega, então, dá pra saber o nível da produção.

Achei divertido, emocionante e ótimo pra aproveitar num fds em que precisava de descanso.

Alguém aí já viu? O que achou?

Notas da Audiovizueira nº26

Oie, pessoas!

Voltando com a lista. Cheia de dicas, novidades e muitas produções audiovisuais para todo mundo curtir!

Bora lá.

01. Riverdale

A série teen, inspirada nos quadrinhos do Archie, conta as “peripécias” em um grupo de jovens em uma cidade que sofre o baque após um misterioso crime.

Disponível em: Netflix

02. O ódio que você semeia

Baseado no livro de Angie Thomas, narra a história de uma garota que presencia a morte de seu melhor amigo e precisa testemunhar perante o tribunal.

Disponível em: Telecine Play

03. Quase uma Rockstar

Amber é uma jovem que ajuda as pessoas, tem umas várias atividades e mantém sua positividade até que uma série de situações complicadas acontecem e a garota perde um pouco da sua personalidade expansiva. Mas, para a sua surpresa, todos aqueles impactados por ela farão o possível para ajudá-la.

Disponível em: Netflix

Até a próxima, gente! =]

Notas da Audiovizueira nº 21

Sabe como eu sei que uma série foi impactante?

Quando eu preciso escrever sobre ela após terminar (seja uma maratona ou uma visualização de episódios de forma ágil ao longo de algumas semanas – que não é, tecnicamente, uma maratona, mas engloba assistir por muito temo a mesma coisa)

Quanto mais difícil para me desapegar dos personagens, da trama, no universo, mais eu sei que o conteúdo criado foi excepcional (na minha humilde concepção de audiovizueira apaixonada por produções cativantes)

Esse foi o caso de Parks & Recreation. A série, criada por Greg Daniels e Michael Schur, mentes que trouxeram ao mundo a adaptação do The Office e, principalmente, o humano responsável pela criação de uma das minhas séries favoritas da vida, The Good Place (Michael Schur).

Ok, agora chegando ao ponto, o que há é tão cativante a história, quais os acontecimentos importantes e porque eu vou indicar para todas as pessoas sempre que puder?

Trama

Numa simplificação, a série trata sobre a vida de uma funcionária pública e seu departamento. No entanto, é muito mais que isso. O programa fala sobre amizade, aliás, a interação de Leslie e Ann logo no primeiro episódio foi uma escolha dos criadores para explicar a linha que seria percorrida ao longo dos episódios.

E é isso mesmo, com altos e baixos na carreira ou na vida pessoal, juntando momentos impagáveis com atividades inerentes à vida no ambiente de trabalho, Parks segue. no formato mockumentary (documentário de zueira, para os íntimos), um grupo grande de personagens. Ainda que seja focado num núcleo pricniapl, diferente de outras produções, todos têm os seus momentos de glória, conhecemos os hábitos e sabemos como cada um agiria em uma situação especifica. Torcemos pelas suas conquistas e nos compadecemos com as suas derrotas.

Uma das minhas partes favoritas é esse desenvolvimento. Ainda que não tenham tanto tempo de cena, nós conhecemos essas pessoas.

Fator Cativação

  • Baita elenco talentoso. Tem herói da Marvel, tem comediante do SNL, galera de stand up. E cada um traz atributos especiais à trama.
  • Um grupo de criadores e roteiristas genial e uma produção demais. (gente que trouxe ao mundo do audiovisual: The Offce US, The Good Place e Brooklyn 99)
  • A série é cheia de histórias que te farão entrar no universo de Pawnee. Cê vai acreditar que a cidade existe e isso vai te levar a outro nível de experiência. (Que, ao que tudo indica, tá no universo compartilhado de outras séries dos mesmo autores/criadores)
  • Participações especiais: tem uma galera famosa (e parças dos criadores) que aparece aí. Andy Samberg, Ben Schwartz, Jason Mantzoukas, Will Forte, Kristen Bell, Dax Shepard e muitos outros!
  • Fiquei muito apaixonada e torcendo para que um dia pessoas como a Leslie consigam fazer mudanças significativas no mundo.

Desenvolvimento de Personagens

  • Mesmo com tantas histórias, linhas narrativas e peculiaridades, diferente de alguns seriados que eu já vi, deu para trabalhar um pouco de cada protagonista, ainda que alguns tenham mais espaço e histórias. Poucos ficaram com aquela sensação de ‘tá, beleza, mas podia ter um pouquinho mais”
  • Relacionamentos: amizades, amores, brigas e reparações. Tem de tudo, desde a essência que é a ligação entre a Leslie e a Ann a partir de um problema com uma cratera na rua, casais que se formaram, terminaram e voltaram. Alguns relacionamento tóxicos…
  • Piadas recorrentes: o coitado do Jerry, todo atrapalhado, sofre com os colegas. O Ron, com sua casca dura insistindo em errar o nome das pessoas de propósito, entre outros.

Extras

Erros de gravação: a série tem uns erros de gravações ótimos, incluindo um em que eles trocam os personagens da abertura por um pônei e outro que alguém da produção

Gifs

Sério. Não existe nada mais daora do que poder aproveitar gifs engraçados com os seus personagens favoritos para qualquer momento em uma conversa.

E Parks tem uns gifs que são geniais. (tô olhando pra você, Ron de mini chapéu).

Tempo investido

São 7 temporadas. Maaaaaas, pensando positivo, a primeira temporada tem só 06 episódios e a última é mais curtinha. (Ok, são vários episódios ainda, só que são maravilhosos!).

Acho que eu já falei muito, né? #Fangirl

Alguém aí já assistiu? O que achou? Conte nos comentários.

Até a próxima. =]

Notas da Audiovizueira nº20

Olá, pessoas!

De volta com uma lista cheia de indicações para todos os apaixonados por audiovisual!

Bora lá!

01. A Química Entre Nós Dois

A adaptação literária da mesmo nome, escrita por Krystal Sutherland, narra a história de uma garota que começa a estudar em um novo colégio, entre no jornal dele, conhece um garoto que acaba se apaixonando por ela.

Disponível em: Amazon Prime Vídeo

02. A Esposa

Nesse filme indicando ao Oscar, uma esposa vai acompanhar o seu marido para que ele recebe a premiação do Nobel de Literatura, mas existe muita coisa por trás da carreira literária dos dois.

Disponível em: Telecine Play

03. O Clube das Babás

Baseado nos livros de Ann M. Martin, essa série conta histórias de um grupo de amigas que abre uma agência de babás.

Disponível em: Netflix

04. Meu Amigo Enzo

Com cara de filme de chorar, narrando a trajetória a e crescimento, vida e evolução de um homem e seu doguinho.

Disponível em: Telecine Play

Espero que curtam. Até a próxima!

Notas da Audiovizueira nº18

Olá, pessoas!

De volta com as listas. Eu sei que as maratonas parecem infinitas, mas, se você for como eu, descobrir novas coisas para assistir é sempre genial.

Bora lá? Só com indicados ao Emmy 2020 (para ajudar quem tá aí que nem eu, tentando ver tudo o que pode até o dia da cerimônia).

Aviso: lista de premiação normalmente é cheia de série/história tensa. xD

01. Nada Ortodoxa

A minissérie inspirada no livro “Nada Ortodoxa – livro de memórias de Deborah Feldman” é baseado em sua história real. Trata-se de uma garota que foge de um casamento arranjado em uma comunidade religiosa. Com ajuda externa, ela vai para Berlim tentar recomeçar sua vida.

Disponível em: Netflix

02. Pequenas Grandes Mentiras

Com um baita elenco e vários prêmios, a produção da HBO narra a história e três mulheres em uma cidade na qual ocorreu um incidente chocante. A série é baseada no livro de Liane Moriarty.

Disponível em: HBO GO

03. Self Made: Inspired by the Life of Madam C. J. Walker

Inspirada no livro de A’Lelia Bundles, a minissérie conta a história de Madam C.J. Walker, uma importante ativista social e a primeira mulher milionária dos EUA a conquistar seu próprio patrimônio..

Disponível em: Netflix

04. The Mandalorian

A série conta a história de um Gunfighter mandaloriano no universo de Star Wars, na cronologia, está após queda do império e antes do surgimento da Primeira Ordem.

Disponível em: Netflix

Espero que curtam. Até a próxima! =]

Disponível em: (Ainda não chegou no Brasil, mas como o Disney + tá com previsão pra chegar em breve, fica aí a dica. E é Star Wars, né? Impossível não indicar aqui)

Bee and The Puppycat #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200813-205008_1.jpg

Título/Autora: Bee and the Puppycat V.1, criado por Natasha Alegri

Avaliação: Tentando descobrir se o meu gato não tem algum poder.

Oie, pessoas!

Hoje tem aquele quadrinho curto para quem curte coisas fofinhas e quer dar aquela treinada marota no inglês (porque não tem nada melhor do que testar uma língua que você não domina com atividades divertidas como leitura, não é?).

Passeando pelo universo de livros gratuitos que eu consegui “pegar emprestado” usando um negócio que não me patrocina, mas eu sou apaixonada, o Kindle Unlimited )eu falo dele pelo menos 8180010 vezes por semana…), encontrei essa maravilha.

Não só é uma gracinha como tem uma história surreal e divertida (e no primeiro bloco tem uma interatividade super criativa de QR Codes que levam a gente até um vídeo com música, para “entrarmos na cena”). É uma experiência multiplataforma.

O quadrinho é uma baseado na websérie de mesmo nome (que está disponível no Youtube) e conta a história de uma jovem, com seus 20 e pouquinhos anos, Bee, que encontra um serzinho que é híbrido de cachorro e gato, Puppycat. Ela está desempregada e precisa pagar o aluguel, então, os dois acabam aceitando diversos trabalhos temporários para poderem pagar o aluguel.

Seria uma trama normal se não fosse um gato/cachorro falante e os trabalhos serem, em sua maioria, em outros mundos. É, eles viajam pelo espaço, às vezes vão parar em mundo de criaturas fofinhas, outros que tem seres feitos de comida… mas também vão à loja de plantas e comem doces em piqueniques.

A série tem mais volumes (dois, no caso), mas esse primeiro já foi bem divertido e super rápido para ler.  E a arte é maravilhosa. São algumas histórias dentro desse volume e cada uma delas tem ilustradores diferentes e escritores (que colaboram com a escritora e criadora Natasha Alegri).

Fiquei muito apaixonada por todas as ilustrações e a forma como cada um criou o universo da Bee e o seu companheiro!

E ai, quem se aventura em uma produção em outra língua?

Se alguém conhece, conta o que achou.

Até a próxima.

Notas da Audiovizueira #16

TopoNotasAudiovizueira-01

Oie, gente!

Passamos pela metade da semana e e aquele momento de encher a lista de indicações com as produções audiovisuais que bebem na fonte da literatura.

#BoraLá

01. Scott Pilgrim contra o mundo

O filme que parece mais um jogo de videogame foi inspirado nos quadrinhos de Bryan Lee O’Malley e é basicamente uma obra de arte! Sério, é uma produção brilhante que narra a história de um jovem adulto, Scott, que se apaixona por uma garota de cabelos coloridos chamada Ramona e precisa enfrentar os ex-namoradxs dela para que possam ficar juntos.
Disponível em: Amazon Prime Vídeo

02. Pessoas Normais
Essa série, indicada ao Emmy, inclusive, é baseada na obra de Sally Rooney e narra a história de Marianne e Connell e as suas “esbarradas” ao longo de diversos períodos.
Disponível em: Starz

03. Cursed – A Lenda do Lago

Uma das mais recentes séries da Netflix, a história acompanha Nimue, uma garota com o poder de se transformar na Dama do Lago.

Disponível em: Netflix

04. Anna Karenina

Adaptação do clássico de ‎Liev Tolstói, narra a trajetória de uma mulher, casado com um funcionário do governo e acaba se apaixonando por um oficial da cavalaria.

Disponível em: Telecine Play

Espero que curtam.

Até a próxima.

Notas da Audiovizueira #15

TopoNotasAudiovizueira-01

Oie, gente!

O tempo friozinho combina com maratonas. Hoje tem várias séries aqui na lista pra vocês curtirem!

#ApertaOPlay

01. Pequenos incêndios por toda parte

Adaptação da obra de Celeste Ng,  narra a trajetória de duas famílias muito diferentes que se cruzam graças a uma relação de inquilinos. Os recém-chegados trazem um passado misterioso que movimenta o local.
Disponível em: Amazon Prime Video
02. Watchmen

A série é baseada nos personagens de Alan Moore, a série apresenta uma situação do mundo alguns anos após a história original. Nela, o mundo está com problemas relacionados a injustiças raciais e os heróis colocam suas máscaras para impedir isso!

Disponível em: HBO GO

03. Anne With an E

Essa produção de sucesso é inspirada no romance canadense “Anne of Green Garbles”, de Lucy Maud Montgomery. Conta a história de Anne, uma jovem orfã que, após muitos anos viveu durante muitos anos em lares e orfanatos estranhos quando, por engano, é adotada.

Disponível em: Netflix

04. The Old Guard
Baseado nos quadrinhos de Greg Rucka, narra a história de um grupo de mercenários que possuem um poder de imortalidade e defende o mundo há tempos. No entanto, quando esse talento é descoberto, precisam protegê-lo

Disponível em: Netflix.

Espero que curtam.

Até  próxima.