Scott Pilgrim Precious Little Life #Resenha

Título/Autor: Scott Pilgrim Precious Little Life, Bryan Lee O’Malley.

Avaliação: Atenta aos sonhos para ver se nenhuma pessoa aparece atravessando uma estrada mágica.

Oie, pessoas!

Já teve resenha do filme, agora que tal falar da história que inspirou aquela maravilha cinematográfica?

Nesse primeiro volume, temos a parte inicial da trajetória de Scott Pilgrim, um jovem adulto que está “entre empregos”, é baixista de uma banda que não acha muito boa, namora uma garota por quem não é apaixonado e está obececado por uma pessoa que aparece nos seus sonhos.

Dividido em 6 partes, esse “bloco” apresenta os personagens principais, Scott, sua namorada que ainda é um estudante de Ensino Médio, Knives, seu colega de quarto, Wallace, a banda e seu road, e, a pessoa por quem ele fica vidrado, Ramona Flowers.

Se não tinha ficado claro no filme, é super perceptivel nos quadrinhos que essas pessoas não são comuns, Ramona é uma entregadora da Amazon que conseguem mesmo aparecer enquanto Scott dorme e ele é um grande lutador (como será comprovado em uma cena futura).

A premissa é básica, um garoto se apaixona por uma garota.

Após ver Ramona em seus sonhos, Scott a encontra na Biblioteca em uma saída com sua namorada e, depois, em uma festa (nesse dia ela finalmente fala com ela, mas não dá muito certo)

E, no processo para conseguir ficar junto dela, ele vai precisar lidar com algumas coisas. Primeiro, terminar seu relacionamento prévio, segunda, fazer com que ela queira sair com ele e, ao conseguir a façanha anterior, precisa lutar por ela.

LITERALMENTE LUTAR POR ELA.

Conforme um e-mail (e uma carta) que ele recebeu de um ex-namorado do mal de Ramona, para que os dois possam ser uma casal, Scott precisa derrotar as 7 pessoas com que ela esteve.

O volume 1 traz o primeiro ex, o primeiro encontro dos dois e o shows e ensaios nos quais podemos ver como é o ambiente em que os personagens vivem.

Estou ansiosa para ler mais. E é super interessante ler, ao final, como foi a inspiração do autor e traços de sua própria vida que foram inseridos na história.

Alguém aí já leu? Contem nos comentários o que acharam.

Até a próxima.

Bee and The Puppycat #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200813-205008_1.jpg

Título/Autora: Bee and the Puppycat V.1, criado por Natasha Alegri

Avaliação: Tentando descobrir se o meu gato não tem algum poder.

Oie, pessoas!

Hoje tem aquele quadrinho curto para quem curte coisas fofinhas e quer dar aquela treinada marota no inglês (porque não tem nada melhor do que testar uma língua que você não domina com atividades divertidas como leitura, não é?).

Passeando pelo universo de livros gratuitos que eu consegui “pegar emprestado” usando um negócio que não me patrocina, mas eu sou apaixonada, o Kindle Unlimited )eu falo dele pelo menos 8180010 vezes por semana…), encontrei essa maravilha.

Não só é uma gracinha como tem uma história surreal e divertida (e no primeiro bloco tem uma interatividade super criativa de QR Codes que levam a gente até um vídeo com música, para “entrarmos na cena”). É uma experiência multiplataforma.

O quadrinho é uma baseado na websérie de mesmo nome (que está disponível no Youtube) e conta a história de uma jovem, com seus 20 e pouquinhos anos, Bee, que encontra um serzinho que é híbrido de cachorro e gato, Puppycat. Ela está desempregada e precisa pagar o aluguel, então, os dois acabam aceitando diversos trabalhos temporários para poderem pagar o aluguel.

Seria uma trama normal se não fosse um gato/cachorro falante e os trabalhos serem, em sua maioria, em outros mundos. É, eles viajam pelo espaço, às vezes vão parar em mundo de criaturas fofinhas, outros que tem seres feitos de comida… mas também vão à loja de plantas e comem doces em piqueniques.

A série tem mais volumes (dois, no caso), mas esse primeiro já foi bem divertido e super rápido para ler.  E a arte é maravilhosa. São algumas histórias dentro desse volume e cada uma delas tem ilustradores diferentes e escritores (que colaboram com a escritora e criadora Natasha Alegri).

Fiquei muito apaixonada por todas as ilustrações e a forma como cada um criou o universo da Bee e o seu companheiro!

E ai, quem se aventura em uma produção em outra língua?

Se alguém conhece, conta o que achou.

Até a próxima.