Perdoa eu. Perdoa tu. Perdoe-se

Ainda que a gente esteja acostumado a atrelar o perdão a qualquer divindade escolhida para cultuar, não seria bem legal pegar essa responsabilidade também?
Olha só. É de graça. Não tira pedaço e faz bem.
Então vamos começar já no modo hard. O auto perdão.
É criançada, o que fazer quando a pessoa com a qual você está magoada, sentida, 1000% pistola é você mesma?
Não dá pra fugir, correr ou se esconder. (A menos que use uns baratos aí… mas não indicamos por aqui essas coisas).
Então, tendo em vista que estamos presos em nós mesmos, bora encontrar um jeito de lidar!
Ser autocrica (é, crica mesmo), é uma droga. Tudo ganha uma proporção homérica e encontramos formas de somatizar todas as tristezas.
Tem pessoas que choram, pessoas que se isolam, pessoas que ficam enjoadas.
E são horas e horas remoendo aquela mágoa, em looping, sentindo a decepção de ter cometido O MAIOR ERRO DO MUNDO!
Como já foi dito no manual de instrução, errar é humano. A gente vai errar, a gente TEM que errar. Pra aprender, evoluir e desenvolver nosso potencial.
E se a gente parar no erro, remoendo, não vamos pra frente NUNCA!
Vai ser a festa da depressão e auto flagelo. Do isolamento e da alienação das pessoas que amamos.
Vamos abrir o coração para os erros, aceitar, entender e perdoar. NOS PERDOAR.