Notas da Audiovizueira n°36

Olá, pessoas!

Para quem ainda não pegou o ritmo da leitura nesse começo de ano, que tal ver uns filmes inspirados em livros e dar aquela animada na lista de TBR?

01. Nick e Norah – Uma noite de amor e música

Baseado na obra de mesmo nome dos autores David Levithan e Rachel Cohn, narra a trajetória de dois jovens ao longo de uma noite. Envolve desconhecidos se aproximando, a busca por una banda misteriosa e um amor novo.

02. Se eu ficar

O livro de Gayle Forman deu origem ao filme a aborda um acidente que acomete uma família inteira e a luta por uma integrante dela para se manter viva.

03. After

Aquele romance jovem ozado, inspirado no livro de Anna Todd e que narra a história de Tessa, uma garota boazinha que começa a faculdade e acaba atraída pelo bad boy Hardin.

04. Simplesmente Acontece

Produzido a partir da publicação de Cecelia Ahern, trata-se da história de uma garota que engravida na adolescência, as reviravoltas da sua vida e a relação que mantém com seu melhor amigo ao longo dos anos, mesmo que os caminhos os levem para lados diferentes do mundo.

Espero que curtam!

Até a próxima!

Estou tentando encontrar sentido na frase “tudo tem uma razão para acontecer”, e acho que descobri essa razão: para me irritar.

SImplesmente Acontece, Cecelia Ahern

Top 3 – Casais

Para fechar as homenagens ao Dia dos Namorados (que foi
ontem, então, hoje é dia das mandingas de Santo Antônio. Ei, segura o menino no
braço, Antônio, porque hoje a galera vai correr atrás de vocês!!

Então, para celebrar essa data tão cheia de S2 e romance no
ar, que tal um top 3 de casais que tem um espaço reservado no meu próprio S2?

Essa escolha foi feita com base em … nada científico… só
sentimento mesmo. Porque eu não sou obrigada a ser racional. HAHAHAHAHA.

Vamos ao top, humanos!

1.  Eleanor e Park – Eleanor
& Park, Rainbow Rowell.

Gente, qualquer um que tenha lido esse livro se apaixonou
com esses dois. A interação deles, como cada um via o outro (o livro tinha o
ponto de vista dos dois na narrativa <3), seu desenvolvimento. Cada detalhe
fofo e a forma como eles foram se aproximando, confiando um no outro e criando
um laço forte que envolve todo mundo, personagens, leitores, o céu, o sol e o
mar. Todo mundo é cativado e se não for, julgarei eternamente. MUAHUAHUAHUA.

Brincadeira, mas tem coisa mais fofa do que o Park deixando
quadrinhos para a Eleanor ler quando ele percebeu que ela lia junto com ele
quando os dois iam juntos no ônibus, mesmo antes de se falarem, quando as
pessoas só praticavam bullying porque ela era diferente? Ou ele levando as
fitas para ela ouvir? Vomitei arco-íris eternos com esse livro!

2. Rosie e Alex – Simplesmente Acontece, Cecelia Ahern.

Eu nunca tinha pensando que esse casal iria para o meu top.
Quando eu estava juntando na minha cabeça quais seriam as minhas escolhas, do
nada, eles surgiram.

Pode ser porque li esse ano ou sei lá o que, mas algo nesse
casal faz com que eles mereçam estar aqui. Tudo bem que foram 45 anos de
desencontros, tentativas, friendzone nível hard, discussões e outros
relacionamentos, mas o fato deles, de alguma forma, sempre conseguirem
encontrar uma forma de se reaproximarem, da amizade não morrer após todos
aqueles anos difíceis, isso dá credibilidade para a dupla.

Sim, demorou, mas eles conseguiram, ficaram juntos e
provavelmente foram felizes para sempre porque aqueles dois se merecem e têm o
direito à felicidade que não encontraram no amor, durante muitos anos.

Por serem batalhadores, eles ganharam espaço no top!
Parabéns!

3. Rose e Dimitri – Academia de Vampiros

Se o quesito friendzone atrapalhou o casal acima, imagina o
quesito idade, junto com o quesito hierarquia no ambiente escolar e o quesito
strigoi para acabar com o relacionamento.

O casal de dampiros tem uma conexão desde que se conheceram,
mesmo tentando lutar contra os sentimentos, essa relação, que é errada em
muitas formas (segundo a visão do mundo), estava fadada a acontecer. Os dois
eram loucos um pelo outro e, olha, foi um caminho difícil para dar tudo certo!

Teve que rolar muita luta, lágrimas e uma força sobre-humana
da Rose para ajudar o Dimitri quando ele foi ~spoiler~ transformado num strigoi
e ela foi até a Sibéria encontrá-lo para que pudesse acabar com a vida dele
(como o próprio Dimitri gostaria~spoiler~.

Eu admito que curti a Rose junto com o Adrian, mas ela e o
Dimitri são almas gêmeas. E quando ela fala Roza e ela se derrete ❤ e ela o
chama de camarada porque ele é russo. Sério, eles foram feitos um para o outro.
Ela faz com que ele relaxe sua postura sempre austera e ele a ajuda a ser
responsável e conseguir atingir seu potencial. Isso é amor.

Eu poderia fazer uma lista gigantesca com mais milhões de
casais no dia de hoje, que nem a Lola e o Cricket (Lola e o garoto da casa ao
lado), a Cath e o Levi (Fangirl), Hazel e August (A culpa é das estrelas) ou
June e Day (Legend)… São tantoos ( e isso só nos YA, imagina em todos os
livros de ficção que eu adoro e juntei nesses 20 e todos anos de leitura?), mas
para não escrever um post do tamanho dos Lusíadas, paro por aqui hoje!

Té mais, humanos! Ponham amor nesses coraçõezinhos e vão suspirar
lendo essas histórias! =]

Love, Rosie – #Resenha

Título/Autor: “Love, Rosie”, Cecelia Ahern.

Avaliação: Polindo as medalhas de honra desses heróis da friendzone.

Devo dizer que eu fiz o caminho oposto dessa vez. Eu assisti ao filme, depois li o livro. Podem me julgar (na verdade, não podem, porque eu não sabia que era uma adaptação e ninguém paga os meus ingressos de cinema, logoo…)

Como eu tenho um caso sério de esquivamento de spoilers crônico, eu não vejo trailers, não pesquiso sobre os filmes na internet e não quero saber de nada até ir ao cinema ou ver o filme em casa. Então, só após terminar de ver a Lily Collins por pouco não parecer mais nova do que sua filha pré-adolescente, eu descobri que havia um livro.

Então, para comemorar o fim do meu desafio anual da leitura, eu comprei o Love, Rosie (em inglês, porque gosto de desafios [na verdade, foi porque estava mais barato do que o em português, confesso])

O livro é narrado por meio de cartas, cartões postais, e-mails e recados entre os personagens. Particularmente, eu adoro esse tipo de narrativa! Acho muito interessante, gostosa de ler, mas, de vez em quando, fico surtando e pedindo um narrador onisciente pra me contar qual a cara que o personagem está fazendo em determinado momento.

Em todo caso, o livro conta a trajetória de uma linda amizade entre Rosie e Alex, que se conhecem desde os 5 anos de idade. Eles são melhores amigos e durante toda o tempo “dividem” perto ou à distância, as experiências da vida (infância, adolescência, o caos da gravidez da Rosie, casamentos, problemas em relacionamentos, etc…)

A personagem principal é a Rosie e seguimos com ela nas dificuldades de uma mãe solteira, fazendo o possível e o impossível para criar a filha, tendo desistido de ir para a Faculdade nos Estados Unidos, sair de Dublin e viver aventuras com Alex. (Isso graças a um desencontro entre ela e Alex e a má decisão de passar a noite com Brian).

Aliás, desencontro é a palavra-chave desse livro. Toda vez que algo está para se desenvolver de uma forma positiva entre Alex e Rosie, há um desencontro da vida (gravidez, casamento, o pai da sua filha reaparecendo)

De qualquer maneira, é uma experiência ver o desenrolar de 45 ANOS de amizade pelas páginas do livro. E, mesmo com seus problemas, as eternas complicações e perdas da vida de Rosie, existe uma constante (além de amigos que valem muito, até os mais improváveis, quem ler vai descobrir…) e a trata-se de Alex.

Ainda que tenha muitas tragédias no livro, existem partes bem engraçadas, como a interação dela com a Ruby, sua amiga do trabalho, seus problemas com a professora, as discussões online com sua irmã ou com Alex. Além de momentos muito fofos entre família. Tem de tudo!!

Vale a pena acompanhar a Rosie no meio de tanta confusão. Tem hora que queremos consertar tudo por ela, falar que vai dar certo e fazer um chazinho, mas que bom que o Alex tá ai pra isso! (quando está em Dublin, claro)

Passe nervoso com a série de vezes que você pensou que tudo daria certo e suspirou dizendo: Agora vai! Sério, esse livro é uma mistura de Desventuras em Série com qualquer outra comédia romântica.

O pessoal que adaptou fez um bom trabalho em transformar toda aquela espera e as desgraceiras da vida da Rosie e seu relacionamento com o Alex em algo mais simpático. Palmas pro roteirista, mesmo eu ainda achando o filme mediano, é bem “assistível”.

Preparem seus corações, humanos e vão ler esse livro pra perceber que a vida não tá fácil pra ninguém, mas nunca é tarde para apostar no amor! ❤