Amor na Loja de Chocolates #Resenha

Título/ Autora: Amor na Loja de Chocolates, Renata Lustosa.

Avaliação: Querendo me encher de chocolate!!

Olá, pessoas!

Bora para uma resenha que tem sensação de #tbt? Com uma vibe doce da Páscoa.

Quem não gosta de um livro temático? Ainda mais se for uma comédia romântica fofa de uma autora que já ocupa um espaço especial na biblioteca. xD

Mais uma vez, temos uma história muito gracinha para deixar os corações quentinhos. Nela, conhecemos Olivia, dona de uma loja de chocolates vegano localizado em um shopping de alto padrão.

Perto da Páscoa, na loja acaba cercada por uma horda de fãs (náticas). Isso porque havia um ator famoso bem no meio do shopping.

Olivia cachou que seria uma ótima oportunidade de venda, até que o segurança mal-encarado do ator tirou todas as garotas de lá. (Por sorte, o rapaz acabou comprando muito chocolate e, de quebra, a chamou para sair).

Workaholic de carteirinha, ela pensou em não aceitar, mas mudou de ideia, lembrando que seu pai sempre falava que ela devia sair e aproveitar um pouco a vida.

No entanto, o encontro não sai como ela espera e aquele segurança acaba sendo menos ranzinza do que ela imaginava.

Com interações fofas, encontros inusitadas, corações abertos e muito chocolate, esse conto curtinho é perfeito para momentos em que precisamos de uma dose de doçura na lista de leitura.

Quem aí já leu? Conta o que achou.

Notas da Audiovizueira n°44

Olá, pessoas!

Espero que estejam todos bem nesse período. Que tal a gente se distrair falando sobre um filme inspirado em livro?

Bora comenta Moxie, a nova produção da Netflix?

Primeiro, eu já estava muito ansiosa para assistir porque AMO adaptações literárias. Ai descobri que envolvia a Amy Poehler e soube que seria puro amor.

Sobre o que fala??

História de uma adolescente que tem uma vida normal, com aquelas preocupações de faculdade, popularidade. Padrão. Ele tem uma melhor amiga e estuda em um colégio que passa para o astro do futebol.

Normal, né? Chega a ser irritante como até ela repete frases que perpetuam esse comportamento abusivo de certos alunos.

As coisas começar a mudar com a chegada de Lucy, uma garota com personalidade forte e que, com alguns comentários certeiros e alguns casos de machismo no colégio, faz com que Vivian reflita sobre a situação de escola.

Inspirada nos anos de protestos de sua mãe, ela decide falar sobre os problemas no colégio de forma anônima: Cria uma zine feminista chamada Moxie.

A publicação é um sucesso, mas as coisas tomam uma proporção que gera problemas.

Além disso, nesse meio tem Seth, garoto fofo que vai mexer com o coração de Vivian,

• Pontos positivos

Amy produzindo e dirigindo a adaptação.

Elenco ótimo. Muito bem escolhido. Palmas para a diretora que representou muito bem muitas coisa que vemos no dia a dia.

Trilha sonora genial.

Traz para debate importantes pautas.

Direção de arte genial. Aquele quarto e, principalmente, a zine maravilhosa.

Partes mais fracas

Personagens e tramas subutilizadas. Por exemplo, a Lucy.

A rebeldia da Vivian, quando tá com a “mente aberta” é meio irritante. Ela briga com todo mundo que tá lá dando apoio.

Primeiro encontro meio esquisito.

Alguns itens não foram explicados, só esquecidos ao longo da narrativa.

Em todo caso, adorei o filme. Mesmo com uns pontinhos mais fracos.

Quem aí já assistiu?

Conta oque achou nos comentários.

Até a próxima. =]

Entrevista com a Pedra #Resenha

Título /Autor: Entrevista com a Pedra e outros contos, Nigel Goodman.

Avaliação: Esperando algumas coisas inanimada e aleatórias falarem.

Olá, pessoas!

As resenhas andam meio fora de data, mas podem acreditar que as leituras não pararam! Tem muita coisa boa chegando por aí!

Hoje tem a resenha de um livro que eu fiquei intrigada para ler desde que ouvi o autor falando dele em um podcast. E, para a minha alegria, encontrei disponível no Kindle Unlimited.

Aliás, toda vez que ele aparece no “Eu tava lá”, dou muita risada. Então, indico para todo mundo.

Mas, bora falar sobre o livro.

Trata-se de uma série de contos, abordando as diversas entrevistas realizadas por Anderson Leitão.

Ele é repórter de um jornal que não tem muita credibilidade por aí. Também não é um dos melhores em sua área.

Leitão adoraria ganhar um prêmio por suas reportagens, mas está muito longe disso.

Adoraria receber pautas melhores, mas nunca consegue se expressar de forma incisiva o suficiente. E quando tenta, ou as pessoas não levam a sério ou não entendem o sentimento dele.

Com isso, termina em um monte de entrevistas esquisitas, que nunca trarão satisfação profissional ou prêmios.

Entre as pautas malucas que o chefe entregou ao reporter, por ele ser, aparentemente, a pessoa perfeita para a reportagem, estão: entrevista com uma pecha, cachorro, obras de arte e até um macaco astronauta.

A ironia é que Anderson fez cada uma das entrevista com toda a seriedade possível.

Um livro curto, bom para quando precisamos de uma leitura simples e rápida.

Alguém ai já leu? Conta o que achou nos comentários.

eu acredito que o mundo é um canvas em branco com pessoas pintando suas realidades, perspectivas, religiões, e histórias

” Se você cruzou comigo nos corredores do colégio você provavelmente está neste livro”, E. Elisbeth

Uma lista (quase) definitiva de piores medos #Resenha

Título/Autora/Editora: Uma lista (quase) definitiva de piores medos, Krystal Sutherland/ Alt

Avaliação: Verificando os meus próprios medos.

!Alerta! ⚠️ → Este livro tem gatilhos de saúde mental e ambiente familiar complicado.

Olá, pessoas!

Mais uma resenha chegando e, devo admitir que mesmo com essesdestar e a fato de que passei a maior parte do tempo realmente com a ansiedade lá no lustre de tão alta, eu simplesmente me apaixonei por essa história.

A trama narra a trajetória de Esther Solar uma adolescente que aparentemente, faz parte de uma família que sofre com uma maldição: seu maior medo será a causa de sua morte. E, comeria em mente, todos acabam vivendo suas vidas à sombra desse medo.

Pelo menos, isso é o que ela acha.

A história teve origem quando o seu avô, durante a Guerra do Vietnã, conhecer um homem que dizia ser a Morte. E, com erro, teve informação sobre como morreria.

A partir daí, teria começado a maldição da família Solar.

Com isso em mente, Esther lista seus medos e foge de todos. No entanto, acaba não vivendo.

Em sua cara, outra famíliares também sofrem. Seu pai não sai do porão, era não tem um vício em jogose seu eu não tem um medo incontrolável da escuridão.

Tudo muda para Esther quando ela reencontra um colega de infância numa situção não muito favorável.

Numa virada inusitado, os dois acabam juntos na missão de parar por cada um ela medos de lista.

Cheio de momentos tensos, de chorar, ficar com o coração na mão e se preocupar com os personagens, o livro traz à luz importantes temos relativos à saúde mental.

Tem amor, amizade, crescimento, dor e relações
familiares envoltos numa trama fluída que teimpede de largar o livro. Ainda que tenha sido pesado, não deixaria de ler essa história. Gostei muito!

Tem momentos fofos,uma amizade interessante de Esther e sua melhor amiga, Hep, que simplesmente NÃO consegue falar com as pessoas, a conexão com o seu irmão gêmeo Eugene, as histórias do seu avô e as aventuras com Jonah… Cativante demais!

Alguém aí já leu?

Conta o que achou.

Até a próxima!

“— Um dia — disse ele —, todo mundo acorda e percebe que seus pais são seres humanos. Às vezes, eles são pessoas boas, às vezes, não.”

“Uma lista (quase) definitiva de piores medos”, Krystal Sutherland

Notas da Audiovizueira n° 41

Olá, pessoas!

Bora falar de audiovisual que bebeu da fonte literária?

Um dos meus filmes favoritos para assistir e ficar naqueles momentos de fofurice é Nick e Norah- Uma Noite de Amor e Música.

Começando pelo fato de que eu sempre teve em forte crush no Michael Cera. #NÃOMEJULGUEM

Desde Juno, eu o acho uma gracinha. Maaas, fora isso, fui cativada pela história, a química entre os protagonista e toda a emoção de uma narrativa que se passa em uma só noite. (Como audiovizueira formada, acho impressionante o nível de comprometimento para manter um filme inteiro passando na mesma noite. Haja continuismo! São roupas, maquiagens, cabelos que devem se manter iguais. Que trabalheira!)

Fora isso, também sou muito fã de Kat Dennings. Adorava o blog dela e batom vermelho é o mais legal!

Agora, partindo para a trama…

Como muitas adaptações, esse filme, baseado no livro de David Levithan e Rachel Cohn, teve mudanças dentro da história. No entanto, isso não pesou tanto para mim por duas razões:

1. Li o livro só depois.

2. Já tinha adorado o filme.

Voltando, já que perdi o foco…

O filme narra sa trajetória de uma noite de dois jovens que não se conhecem, mas acabam descobrindo uma conexão.

Eles estão no rolê quando Norah, para se livrar de livrar de uma colega, pede que Nick finja ser seu namorado. Nick está no local junto com a sua banda. (Inclusive, eles apresentam).

Mal sabe Norah que Nick é ex de sua “amiga”.

A noite terminaria logo, mas, eles descobrem que uma banda que adoram vai fazer um show em um local desconhecido e os fãs precisam juntar pistas para descobrir aonde eles estarão.

Com rio, começa uma corrida que envolver outros “exs”, uma banda esquisita, novos e velhos amigos’ além de muita música e romance.

É aquele filme para uma tarde preguiçosa em que queremos excesso de fofura.

E, para ajudar, quem curtir o filme pode aproveitar o livo também! Só vantagens!

E aí, alguém já assistiu ao filme ou leu o livro?

Conta nos comentários.

Até a próxima!