Se não fosse por você, eu não estaria aqui #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200709-132053_1.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Se não fosse por você, eu não estaria aqui: Cartas para quando eu era adolescente, vários autores. Editora Seguinte.
Avaliação: Pegando papel e caneta para mandar uma cartinha…

Olá, pessoas!

Para a resenha de hoje, tem um livro novinho em folha, aliás, o e-book é novíssimo! Lançado ontem (8 de julho), trata-se de uma coletânea composta por autores que integram a programação da Flipop 2020.

Está, pelo menos por enquanto, disponível gratuitamente na loja Kindle. É uma ótima oportunidade para aqueles que desejam ler algo curtinho, escrito por muita gente talentosa, DE GRAÇA e ainda ter a oportunidade de ver os painéis da maioria dos autores pelo Youtube.

O livro trata-se de diversas cartas cartas que os autores escreveram para os seus “eus adolescentes”. Quem não queria voltar no tempo para dar uns bons conselhos sobre amizade, família, amor, autoconhecimento, identidade?? E é exatamente isso o que eles fazem essas pequenas páginas cheias de emoções, nostalgia, fatalmente alguns arrependimentos, desilusões e lembranças que, unificadas, os transformaram nos adultos de hoje.

Entre as páginas os leitores vão se deparar com trechos da vida dos autores, palavras de incentivo para as suas versões mais jovens, tudo aquilo que eles gostariam de dizer, agora que aquela época já passou (e deixou marcas importantes).

Cada capítulo traz um frame das suas vidas, de momentos importantes, de suas paixões e momentos de orgulho (principalmente eu falar sobre o futuro). Sempre alertando sobre a situação atual, mas enfatizado a necessidade de manter a calma e não perder as esperanças. Parece até inventado, trama de um filme de ação de Hollywood falar sobre o mundo, política, a questão de saúde e o isolamento.

Fala de persistir no sonho. Nos levam a momentos cruciais como um teste positivo de gravidez, a descoberta da verdadeira identidade, viagens e oportunidade. Aborda amores, amigos, experiências de vida.

É um livro sobre amor, união, vitórias e desenvolvimento. Sobre respeitar as suas próprias limitações, não ter medo de ser aquilo que deseja, sobre apreciar a família e os laços verdadeiros.

Vale a leitura e, quem sabe, aproveitar o ensejo para escrever a sua própria carta. Como seria a sua?

Até a próxima! Espero que curtam a resenha!

O Livro do Sim #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200702-203030_1.jpg

Título/Autor(a)/Editora: O Livro do Sim, Ziraldo. Melhoramentos.
Avaliação: Nem tirei a panela da cabeça…

Olá, pessoas!

Para a resenha de hoje, achei que seria interessante deixar os “dois lados da moeda”.

Na semana passada, teve “O Livro do Não”, uma coletânea de frases e pensamentos super fofos do Menino Maluquinho. Se não leu, confira aqui.

Por isso, nada melhor do que fechar o “ciclo” com a outra parte, que, da mesma forma que a sua versão “negativa”, não que seja um livro com bad vibes, mas tem o “Não” como palavra-chave principal, traz uma série de frases gracinha, reflexão enormes para um espacinho tão pequeno!

As temáticas abrangem família, respeito aos mais velhos, higiene (escovar os dentes é muito importante. O menino maluquinho confirmou isso aí), além de amizade (a máxima de “amigos serem humanos que não gostam das mesmas coisas que você é tragicômica e muito real às vezes”).

Tem comentários ótimos sobre a importância de ler e de transformar esse hábito em algo que seja feito por gosto e não como uma obrigação chata, enfatiza muito a relevância dos livros, o que é muito genial (já que é um livro principalmente para um público iniciante no mundo das palavras!). Tem frases motivacionais as possibilidades encontradas no novo dia, sobre ser gentil.

Ainda que não seja uma leitura focada nas “crianças crescidas”, é maravilhoso poder aproveitar essas pérolas de sabedoria inocente, em poucas páginas, cheias de ilustração. Para aqueles dias difíceis ou quando precisamos de algo para acalmar a mente, nada melhor do que uma dose de fofura ilustrada para nos ajudar, né? E o Menino Maluquinho é um clássico, impossível não se cativado!

Por hoje é só, gente.

Espero que gostem! Até a próxima!

O Livro do Não #ResenhaDeQuinta

Título/Autor(a)/Editora: O Livro do Não, Ziraldo. Melhoramentos.
Avaliação: Recolocando a panela na cabeça!

Oie, pessoas!!

Espero que todos estejam muito bem nessa quinta-feira! Bora para uma resenha novinha em folha?

Entrando no embalo daquela série de leituras curtinhas para aproveitar quando o seu hábito está indo de mal a pior, chega essa obra super fofinha de um dos autores mais importantes do Brasil e seu personagem mais famoso!

Nessa publicação de poucas páginas, somos bombardeados com frases fofas para refletir sobre a vida, família, as atitudes que temos. É bem legal  perceber como um livro “para crianças muito inteligentes” como eles mesmo diz pode trazer pensamentos engraçados sobre flatulências e ao mesmo tempo abordar como não podemos só seguir todas as regras e conselhos. Ou que para ser feliz, não existe uma lista de coisas necessárias.

Trazendo situações do universo lúdico de quem não deve desobedecer os pais e amar os irmãozinhos sem ser maldoso com eles, lição de casa, legumes, higiene, fala sobre tantos assuntos, em frases curtas e cheias de fluidez.

Tem até uma menção honrosa de outra obra do autor “flicts”, Ziraldo insere com naturalidade na narrativa feita para crianças pequenas ou grandes temas como pertencimento, sonhos, amizade. São grandes reflexões disfarçadas de pequenas frases infantis. (E rodeadas de sentenças zueiras sobre xixi na cama ou pingar água pela casa).

Quem precisa de uma dose de ilustrações e leitura leve e ágil, taí uma indicação gracinha!

Espero que gostem!

Até a próxima!

Mas a gente sempre acaba imaginando as possibilidades positivas de uma oportunidade perdida pelo acaso.

“Por onde andam as pessoas interessantes?”,  Daniel Bovolento

“Eu, assim como um monte de gente, não quero sair da inércia, não quero sair daquele limbo sentimental, a menos que alguém me puxe.”

“Por onde andam as pessoas interessantes?, Daniel Bovolento