Aquelas palavras que você precisa ouvir, aquelas que vão mudar a sua vida, que vão responder às suas perguntas, elas estão em algum livro por aí. É só procurar.

“O Livro do Sim”, Ziraldo, Mig

 

Pela milésima vez…

pexels-photo-1303835.jpeg

… começo uma postagem do blog.

Que um dia já foi tumblr (e ele ainda tá aí, compartilhando tudo o que é publicado nessa plataforma).

Foram mil vezes que uma frase foi iniciada, uma citação inserida (e provavelmente repetida, porque a memória não é das melhores, né?), uma resenha publicada, umas lista produzida.

Se colocasse em uma timeline as postagens, daria um pouco mais de dois anos e meio.

Mas não foi bem assim que a banda tocou nos últimos tempos. Inclusive, já teria batido essa marca.

São 5 anos de idade, com data de nascimento indicando que o Sol é em Peixes (por pouco ele não nasce ariano, mas não combinaria com o jeitinho avoado dele).

Alguns dias não tiveram suas citações. Algumas resenhas nunca ganharam seu espaço ao sol.

Por um tempo, ficou num cantinho do coração, juntando pó e pedindo para retornar, quanto os livros seguiam julgando essa que vos escreve para que tivessem seu espaço de destaque no mundo virtual.

Como blog, ganhou vida novamente depois de uma lampejo de inspiração no Dia do Livro de 2019.

A aspirante a escritora sacudiu a leitora e deu um choque com desfibrilador nessas postagens que estavam há anos largadas. (E foram alguns anos, tipo, metade do tempo de vida do Notas da Leitora…)

As crônicas começaram, essa sessão de terapia virtual e coletiva que todas as terças aparece por aqui.

Basicamente elas puxaram a corda da pipoca (muito carnavalesca eu…) das publicações e foram a chama que trouxe de volta o movimento aqui. E, desde então, com altos e baixos, correrias, revisões suspeitas, pedidos de leitura de última hora para as pessoas próximas e muitos livros curtos que têm sido a minha salvação, quase todos os segmentos originais voltaram.

A milésima postagem é como o gol mil. Partindo daquele pressuposto de que todas elas foram certeiras. (sei que sempre tem aquela resenha particularmente de quinta ou uma nota que não deu tão certo).

Mas cada uma delas foi um degrauzinho que trouxe a gente até aqui. E eu não mudaria uma vírgula (tá, se reler e estiver errado, até mudo. HAHAHAHA).

Em 5 anos, mil publicações. Que venham muitas mais. E que não demorem a chegar. Porque tem coisa nova no caminho, muitos rascunhos e ideias esperando pelos olhos atentos de quem lê.

Seja uma pessoa ou milhares, agradeço a cada um. A leitura de vocês faz com que seja muito mais legal toda essa experiência de blogueira. (até parece a famosinha, aguardando os recebidos).

Por muito tempo, achei (e tinha quase certeza) de que estava falando sozinha com as paredes do meu próprio mundo fantasioso e literário, uma Alice perdida em seu País das Maravilhas.

Aí vejo uma visualização nova (que não é minha clicando sem querer no link que eu tô copiando pro instagram – aliás, segue lá notasdaleitora) e sinto que há alguém em algum lugar lendo e, eu espero, se sentindo cativado por essas linhas confusas que eu escrevo, ouvindo uma das músicas da playlist ou lendo um livro que resenhei…

Então, pela milésima vez, humanos, espero que tenha curtido. A crônica de hoje é mais uma carta aberta e comemorativa por todos esses anos de existência semi-escondida nos cafundós dos blogs literários, mas que tem sido muito maravilhosos. (principalmente agora que voltaram com a regularidade que merecem).

Sinto-me contemplada pelo que pude compartilhar e criar a cada nova página ou post em branco que eu abri. E por ter esse marco histórico do blog.

Um dia vou poder olhar pra trás e pensar, com orgulho, que deixei uma marquinha no mundo digital (redes sociais antigas e aquele fotologs da adolescência que já foram devidamente apagados não contam. HAHAHAHAHA)

Esses mil, que foram, para mim, um milênio da minha vida de escrita online são só o começo. Bora que, agora que abriu a portinha da digitação criativa, não vai mais parar!

Até a próxima!

Foto por Suzy Hazelwood em Pexels.com

 

 

Meu reino por um cavalo #ResenhaDeQuinta

P_20200604_173759.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Edição, Organização: Ivan Pinheiro Machado/ L&PM Editores.
Avaliação: Destacando todas as citações.

Olá, pessoas!

A resenha de hoje é de um livro que também entra naquela categoria dos poucos convencionais. Do que não trazem em suas páginas uma história com começo, meio e fim, mas diversos trechos repletos de significados em poucas linhas, falando mais do que se fossem centenas de páginas escritas.

Essa obra, organizada por Ivan Pinheiro Machado, é composta por citações de grandes autores mundiais como WIlliam Shakepeare, Millôr Fernandes, Jane Austen. Além disso, traz provérbios mundiais, frases célebres de pensadores, estudiosos, provérbios populares. Palavras que, reunidas, se tornaram imortais saídas da boca de figuras reais ou da ficção.

Entre as temáticas abordadas estão amor, vida, liberdade, a arte de escrever. São tantas frases para levar no dia a dia, inspirar, fazer rir ou chorar. São tantos sentimentos e emoções encontrados em curtas sentenças.

Eu adoro esse tipo de livro porque, particularmente, sou apaixonada por citações. Saber que a parte de um texto pode marcar alguém e levar tanto significado para as pessoas me parece algo genial. A escrita gera esse sentimento em mim, a forma como ela toca o coração dos humanos que levam consigo pequenos trechos de grandes obras para sempre. (Também é impressionante ver que grandes discursos emocionantes, ditos populares, etc, deixam marcas – boas- nas pessoas!)

Podem colocar essa leitura naquela lista de “terminar em um dia”, para os ansiosos que querem chegar logo ao final e conhecer todas as citações contidas na obra. Ou, pode ser curtido vagarosamente, uma página por vez, na sequencia ou de forma aleatória. Uma frase surpresa ara acompanhar o dia!

De qualquer modo, é o tipo de publicação que pode ser lida de um jeito ágil e fluído. (E, não menos importante, tem páginas com ilustrações MARAVILHOSAS!)

Indico para quem tá precisando de algo diferente.

E aí, alguém já leu? Alguém curte citações também?

Até a próxima!

 

 

Piadas Nerds #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200528-213240_1.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Piadas Nerds, Ivan Baroni, Luiz Fernando Giolo, Paulo Pourrat/ Verus
Avaliação: Rindo lágrimas de trocadilhos de professores

Olá, pessoas!

Para fechar a semana de postagens comemorativas, olha o que temos por aqui, um livro curtinho cheio de piadocas que deixarão qualquer nerd animado para encher suas redes sociais de frases engraçadinhas!

Esse compilado feito a partir de um twitter, o @PiadasNerds vem contemplar aquele grupo de pessoas que não resiste a uma πada (PI-ada) infame com os mais diversos campos do conhecimento.

E, nesse momento em que vivemos, nada melhor do que uma leitura descontraída para as curtir as longas horas dentro de casa. (E quem está em período escolar ou de vestibular, é uma chance excelente de aprender ou lembrar algumas matérias através do humor).

Com temas que variam entre matemática, biologia, química, ciências humanas até cultura nerd e séries, essa obra traz aquele tipo de trocadilho que faria o seu professor de cursinho dobrar de tanto rir! Coisas como [não são literalmente os trechos]:  “Porque o Frâncio é um elemento bem informado? Porque está perto do Rádio” #TabelaPeriódicaFeelings ou “Qual o maior mestre Renascentista? O Splinter porque treinou Donatello, Rafael, Michelangelo e Leonardo”.

Algumas piadas são um pouco de mal gosto, como sempre ocorre no mundo do humor. De uma época diferente (já que o livro é de 2011). Mas dá pra relevar e aproveitar as outras que fazem a leitura ser muito divertida.

Cada bloco temático se inicia com um pequeno texto de figuras famosas online que tem a formação naquela área (seja física, tecnologia ou humanidades). É muito interessante ver algo que une todas essas ciências: o humor!

Admito que algumas piadas foram muito específicas para a minha mente primordialmente de Humanas, mas não foi nada que atrapalhou a diversão ou as risadas altas.

Então, estique a sua toalha no sol e vá aproveitar essa leitura!

Até a próxima! =]

 

Quem está na média não está abaixo dela. Isso, por si só, já é uma razão para alívio.

“Textos Curtos para Ler em Filas ou no Banheiro: Pequenas Crônicas Urbanas”, Flávia Souza de Siqueira

“Eu, assim como um monte de gente, não quero sair da inércia, não quero sair daquele limbo sentimental, a menos que alguém me puxe.”

“Por onde andam as pessoas interessantes?, Daniel Bovolento

Textos Curtos Para Ler… #ResenhaDeQuinta

Screenshot_20200513-230200_1.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Textos Curtos para Ler em Filas ou no Banheiro: Pequenas Crônicas Urbanas, Flávia Souza de Siqueira. Plataforma Amazon.
Avaliação: Esperando a próxima fila para ler. xD

Olá, gente!

Prontos para mais uma resenha de livro perfeito para ler enquanto estamos isolados, só querendo encontrar uma forma de nos distrair em pequenos espaços de tempo? (Sem ter que começar uma aventura época que envolve milhares de exemplares – só para contar, sou muito adepta e essa leitura também, indico).

O pequeno e-book, publicado pela própria plataforma da Amazon, o que é muito legal para autores que se autopublicam, traz uma série de contos bem pequenos que narram o cotidiano da vida paulistana.

Desde seus metrôs cheios de gente até a vida até um bolo de cenoura que, infelizmente, não deu certo (eu me compadeço muito já que meus dotes culinários estão no no nível torrada queimada).

Leitura ideal para os ansiosos por terminar livros no mesmo dia, para os que só tem alguns poucos minutos para ler ou para quem está com saudade do cotidiano de tempos atrás (tem até um conto sobre a visita a um departamento burocrático. #QuemNunca?)

Separado em dois “blocos”, (I) Pequenas crônicas urbanas e (II) Outras neuroses aleatórias, traz entre os temas ansiedade, segunda-feira, uma menção honrosa à internet, com seus comentários que podem causar mal à saúde, as proibições da cidade, o PF, a pessoa que mora em prédio investiga a vida alheia, as problemáticas do Centro da cidade e muito mais.

A autora pinta um quadro do cotidiano de sua cidade,  figuras “diferenciadas”, as situações inusitadas e tudo o que a torna única!

Em algum dos 50 textos, você vai se encontrar, seja por já ter vivido algo parecido ou conhecido alguém que esteve naquela situação.

Se você já leu, conta o que achou nos comentários.

Quem não conhece, espero que abre espaço na lista para mais uma indicação.

Até a próxima! =]

Viajante Literário

adult-architecture-backpack-backpacker-346813.jpg

Abrir um livro é entrar em um veículo rumo a um lugar novo e maravilhoso . Enche nossos corações de expectativa, a nossa mente de ideias sobre os caminhos que cada personagem vai seguir.

É como estar de férias. Dias repletos de possibilidades para aprender novas culturas, encontrar locações desconhecidas ou só descansar a nossa mente.

Ser leitor é estar sempre com o passaporte lotado de carimbos. Aliás, tem gente que tá com ele  mais carimbado do que o da Glória Maria! HAHAHAHA

Seja na Terra Média ou numa cidadezinha do interior, na mais alta torre do castelo de Hogwarts ou no fundo do oceano Pacífico, as linhas nos levam mais rápido do que qualquer metrô ou trem bala para lugares inimagináveis! E a cada viagem, ficamos mais e mais ansiosos para a próxima.

Ler é se perder e se encontrar entre as escolhas, os dilemas e os desafios. Nos emocionamos, sentimos raiva, ficamos compadecidos.

Às vezes queremos colocar o livro na geladeira, que nem o Joey, para não saber o que vai acontecer com algum personagem querido. Em outros momentos, só a ideia de largar o objeto causa pânico, e a eventual barganha mental…

Só mais uma página, um capítulo ou uma frase antes de dormir…

Prometemos. Várias vezes.

Porque no dia seguinte tem escola, faculdade, trabalho…

Mas descumprimos muitas vezes essa promessa. Não dava para dormir sem saber que aquele casal tinha decidido fugir para uma cidade européia, começar uma nova vida. Ou descobrir, FINALMENTE, que enganou o personagem principal!

Se você parar agora, vai lembrar de alguma história que te fez fazer isso. E vai sorrir. Todos somos assim.

Leitores ávidos. Ou esporádicos.

Apaixonados por tramas envolventes.

Engolidores de páginas.

Viajantes das linhas áreas literárias.

Sempre atentos às promoções de passagem. Buscando o próximo destino. Marcando aquela  excursão com os personagens (novos ou antigos).

De malas prontas. Passaporte na mão.

Turistas literários que nunca deixarão de embarcar no próximo trem rumo a terras emocionantes!

 

Photo by Porapak Apichodilok from Pexels

 

Dia Mundial do Livro!