Meu reino por um cavalo #ResenhaDeQuinta

P_20200604_173759.jpg

Título/Autor(a)/Editora: Edição, Organização: Ivan Pinheiro Machado/ L&PM Editores.
Avaliação: Destacando todas as citações.

Olá, pessoas!

A resenha de hoje é de um livro que também entra naquela categoria dos poucos convencionais. Do que não trazem em suas páginas uma história com começo, meio e fim, mas diversos trechos repletos de significados em poucas linhas, falando mais do que se fossem centenas de páginas escritas.

Essa obra, organizada por Ivan Pinheiro Machado, é composta por citações de grandes autores mundiais como WIlliam Shakepeare, Millôr Fernandes, Jane Austen. Além disso, traz provérbios mundiais, frases célebres de pensadores, estudiosos, provérbios populares. Palavras que, reunidas, se tornaram imortais saídas da boca de figuras reais ou da ficção.

Entre as temáticas abordadas estão amor, vida, liberdade, a arte de escrever. São tantas frases para levar no dia a dia, inspirar, fazer rir ou chorar. São tantos sentimentos e emoções encontrados em curtas sentenças.

Eu adoro esse tipo de livro porque, particularmente, sou apaixonada por citações. Saber que a parte de um texto pode marcar alguém e levar tanto significado para as pessoas me parece algo genial. A escrita gera esse sentimento em mim, a forma como ela toca o coração dos humanos que levam consigo pequenos trechos de grandes obras para sempre. (Também é impressionante ver que grandes discursos emocionantes, ditos populares, etc, deixam marcas – boas- nas pessoas!)

Podem colocar essa leitura naquela lista de “terminar em um dia”, para os ansiosos que querem chegar logo ao final e conhecer todas as citações contidas na obra. Ou, pode ser curtido vagarosamente, uma página por vez, na sequencia ou de forma aleatória. Uma frase surpresa ara acompanhar o dia!

De qualquer modo, é o tipo de publicação que pode ser lida de um jeito ágil e fluído. (E, não menos importante, tem páginas com ilustrações MARAVILHOSAS!)

Indico para quem tá precisando de algo diferente.

E aí, alguém já leu? Alguém curte citações também?

Até a próxima!

 

 

O orgulho está relacionado com a opinião que temos de nós mesmos; a vaidade, com o que queríamos que os demais pensassem de nós.

Orgulho e Preconceito, Jane Austen

Somos poucos os que temos valentia suficiente para nos apaixonarmos completamente se a outra parte não nos encoraja.

Orgulho e Preconceito, Jane Austen.

Top 3 #MulheresDaora

Sabadão é dia de quê?? (Não, a resposta não é feijoada, nem
Sabadão Sertanejo #SouVelha). É dia de lista!!! Aeee! #TodosAnimados

Ok, acho que eu estou animada por todo mundo. Hahahaha. Em
todo caso, falando sobre a lista de hoje, vou usar como tema a comemoração da semana
que vem, o Dia da Mulher!

Inspirada nessa data, escolhi 3 entre as minhas personagens
femininas favoritas. E sério, tinha tanta opção que não sei como essa pobre
libriana conseguiu escolher somente as personagens destacadas abaixo.

Bora pra lista!!

01.  Elisabeth Bennet – Orgulho e Preconceito

A metade feminina do meu casal treta favoito! Elisabeth é
inteligente, com pensamentos que ultrapassam o modo quadrado da sociedade na qual
está inserida. Tudo bem, ela tem seus momentos de preconceito, mas o importante
é que essa moça sabe como aceitar as falhas e utilizar os erros para evoluir!
#LizzieRocks

02. Rose Hathaway –
Academia de Vampiros

O que dizer dessa personagem que em poucas páginas já tinha
me conquistado? Ela é divertidíssima, leal e sempre pronta para chutar os caras
malvados! Eu adoro a Rose (até quando ela faz escolhas idiotas em nome do amor)

03. Jess Thomas – Um Mais
Um

Essa é uma das personagens da Jojo Moyes que fez com que eu
diminuísse meu ranço pela autora. A Jess é uma mãe solteira batalhadora, que
faz de tudo pelos seus filhos. Ela é engraçada mesmo quando a situação está
terrível, é espontânea e consegue tirar o melhor das piores situações. É um
exemplo!

Essa foi a lista de hoje, semana que vem tem mais!!

Bom fim de semana e juízo, humanos!!

Pré- Vendas: The Duff/ Orgulho e Preconceito! #NotinhasDaLeitora

Geeeeeeeeeeente, olha quem tá de volta!!! A coluna de notícias que some, mas depois dá as caras como se nada tivesse acontecido!

Inspirada graças a um passeio pelas lojas online, eu trago de volta as Notinhas da Leitora com uma notícia muito legal!

Já estão em pré- vendas dois livros que eu quero muito: Duff e a versão em HQ de Orgulho e Preconceito da Jane Austen!

O primeiro é a história escrita por Kody Keplinger, lançada pela Globo Alt e fala sobre a “alegria” de ser a amiga feia. Eu gostei muito do filme e agora estou ansiosa pelo livro!

Orgulho e Preconceito eu amo e com essa versão em quadrinhos, lançada pela Nemo, com certeza mais gente se apaixonará pela história! A adaptação é de Ian Edginton e as lustrações de Robert Deas.

=]

Top 3 – Coisas  Inesperadas I

Esse tema só ficaria mais genérico se eu tivesse feito a
partir daquelas listas do Facebook que você pega a primeira letra do nome, a
data de nascimento e monta qual seria o seu codinome na agência de detetives do
século XVIII. HAHAHAHAHA

Em todo caso, o dia de hoje inspirou essa lista genérica
porque sofri com um momento #chatiante, mas algumas horas depois fui
surpreendida com uma alegria inesperada!

Loooogo, a lista de hoje tem alguns momentos, personagens ou
livros que me surpreenderam. O tema parece bem abrangente, então, vai se o
primeiro de muitos, gente!

 

01.  Percatempos – Tudo Que Faço Quando Não Sei O Que Fazer – Gregorio Duvivier.

Fui surpreendida com esse livro curtinho e muito engraçado,
cheio de frases e trocadilhos, ilustrações divertidas que me ajudou a sair da
lama. Estou com a leitura do ano atrasada porque entrei num vórtice de preguiça
mental. Não tô conseguindo ler e esse livro foi o primeiro do ano e, com muita
fé, vai deslanchar a minha lista de leitura!

02. Sr. Darcy – Orgulho e Preconceito – Jane Austen

Já ouvi milhões de vezes as pessoas falando “o Sr. Darcy
isso”, “o Sr. Darcy aquilo”. Fiquei logo com preconceito e achei que teria um
mimimi eterno com essa personagem que tanta gente quer casar. No entanto,
depois de ler o livro, entendi o lado dele e aprecio a hombridade de tentar
melhorar. Ponto pra Srta. Austen.

03. Cinder – Marissa Meyer

Cara, releitura de contos de fadas! Isso já me conquistaria
automaticamente, mas a coisas mais brilhante é o desenvolvimento do mundo ser
genial e dela ser CIBORGUE. Sério! Isso é muito legal!! Não vejo a hora de
continuar a série!

Por hoje é só, humanos! Bom fim de semana e juízo! ^^

Orgulho e Preconceito #ResenhaDeQuinta

image

Título/Autor/Editora:
Orgulho e Preconceito, Jane Austen.
Avaliação: Repensando a minha
primeira impressão de uma galera aí… Hahhahaha

Obs: Não tenho a versão individual do livro, só essa compilação. (*__*)

Pode perguntar para qualquer pessoa que me conhece, eu sou
muito crica com as histórias que o mulheres só pensam em casamentos, encontrar
seu príncipe encantado e que vá pro espaço o resto do mundo.

Não sou muito crente no amor à primeira vista e prefiro casais que são
interessantes e até mesmo “discutidores” (não do tipo porradaria, mas
aqueles que cutucam um ao outro de forma trolladora e, às vezes, saudável
hahahahaha).

Looogo, pensar num clássico como Orgulho e Preconceito já me causava um pouco
de… Preconceito. Logo no começo a sra. Bennet e sua necessidade de casar as
filhas, os bailes, as pessoas preocupadas com as danças, a postura, todo aquele
mimimi sobre ser uma boa moça…

Admito, em alguns momentos isso me estressou, mas os personagens, principalmente
o briguento casal principal, fizeram tudo valer a pena!!

Poder acompanhar a trajetória da Lizzy, seu caráter digno que muitas vezes foge
da realidade da época, foi genial! As interações dela com sua irmã Jane, seu
pai e, claro, o Sr. Darcy são os motivos para não largar o livro.

A mãe dela e suas irmãs mais novas, sem comentários para muitas atitudes. Elas
dão má fama à pobre família.

O início, com o Sr. Darcy e sua atitude de “sou melhor que todo
mundo” e a Elizabeth odiando o cara e falando pra todo mundo o quão ruim
ele era! Depois conhecendo o Sr. Wickham e aumentando as suspeitas e seu
preconceito sobre o orgulho exacerbado do rapaz!!

No fim, de uma forma ou de outra, ela o instiga a ser melhor e vice-versa (com o jeitinho “ameno” deles. Isso que é dinâmica, gente! #AmorWin (mas pode ser menos ‘atritoso” hahahahhaha, tá).

 

Sem contar muito da trama, vale a pena conhecer e ler o
clássico da tão amada Jane Austen!! Ver tantas histórias se desenrolando,
suspirar pelo amor, irritar-se com algumas frescuras da época e atitudes
impensadas de jovens com mente fraca e torcer pelo amor vencendo!!

Leiam, humanos!! Eu realmente gostei muito (mesmo lendo aos poucos, algo
que não faço sempre). Cada vez que eu pegava o livro era como se não tivesse
parado de ler!

Essa foi a última resenha do ano!!! Meu muito obrigada para qualquer humano que lê isso
aqui!!! 2016, é nóis com mais resenhas porcamente feitas, mas sempre com muito carinho!! =]

Muitas vezes eu acho (…) que não há nada tão ruim quanto a separação dos entes queridos. Sentimo-nos sozinhos demais sem eles.

Orgulho e Preconceito, Jane Austen.