Embrace the surtadinha

pexels-photo-2868257.jpeg

Vamos admitir aqui.

Na frente de todos. Sem ter constrangimento.

Tem horas que precisamos dar uma surtadinha, né? Xingar aquela quina. Reclamar cas paredes. Chorar no chuveiro.

Seja numa situação atípica como a atual ou em dias comuns, que sempre estão carregados de possibilidades de desequilíbrio emocional, precisamos liberar algumas energias estranhas que ficam acumuladas dentro da gente.

Não precisa ter vergonha. Acontece com os melhores de nós. Precisamos tirar do nosso sistema. Bodear, se necessário. Ficar em posição fetal ouvindo uma banda emo dos anos 2000.

Por isso, jovem Padawan, “keep calm and embrace the surtadinha”! Pode dar uma reclamadona, chamar um amigo para desabafar sobre algo que está te atormentando ou buscar ajuda de um profissional.

Não estou dizendo pra sair por aí chutando tudo e todos. Espero que encontre algum adulto responsável para te ajudar antes que chegue a um ponto crítico.

Mas digo que é normal ter dias difíceis em que tá mesmo no modo zero paciência, surtando com qualquer caneta fora do lugar e querendo jogar todos os papéis para cima.

O negócio é como lidamos com todo isso. Aceitando que é uma parte natural da gente, é mais fácil de transformar tudo isso numa bolinha de energia negativa que vamos mandar para longe como um balão de gás hélio!

Cê não é o primeiro e não será o último a ter alguma crise de irritabilidade. E, saiba, sempre tem alguém pra dar aquele apoio moral. (Mas se sentir que está saindo do controle, não se sinta acanhado e peça ajuda!! Tudo pode ficar melhor!!)

A vida não é fácil, gente. Não precisamos fingir que tudo é um mar de rosas, né? É isso que torna a trajetória desafiadora e instigante!

Vamos aceitar que é complicado mesmo e seguir em frente. Uma surtadinha de cada vez!

Foto por Atul Choudhary em Pexels.com

Levanta, sacode a poeira

sunset sunshine travel wings

(e cuidado com a rinite)

Que não tá sendo fácil, todo mundo sabe desde que a Kátia avisou com aquela bela canção.

Mas como faz pra não ficar largada na Br, em posição fetal, deixando o pó da estrada nos transformar em (spoiler alert) rastros do Thanos?

Ainda mais com o primeiro mês do ano acabado e aquelas resoluções que fizemos se acumulando nos cadernos e aplicativos!

Tem dias em que o peso da existência consome toda a nossa força. Parece que tem um transatlântico em cima da nossa frágil coluna. E nenhum bote (ou porta) perto para nos salvar.

Mas não tema, jovem padawan! Como dizem os mais antigos, a gente só não dá jeito na morte.

Se deu errado agora, dá pra começar de novo.

Caiu no chão, assopra, limpa na blusa e vida que segue.

Terminou algo, olha que ótima oportunidade para começar uma coisa nova e emocionante.

O cotidiano é uma aventura. Cada dia é uma nova fase dessa jornada maravilhosa que chamamos de vida.

E assim como nos jogos, toda vez que passamos para a etapa seguinte, a situação vai se complicando.

Mas não se preocupe, temos sempre um sidekick, uma poção surpresa ou um item para nos dar poder.

E se acha que na vida real não existe esses negócios aí, está MUITO enganado. Sempre tem alguém disposto a nos ouvir, nos ajudar, dar um apoio moral. (Ou só oferecer abraços e uns bons conselhos).

Não importa o quanto pareça impossível enxergar uma mão amiga no meio da fumaça dos nossos “supostos” fracassos. Ela está lá. É só continuar buscando!

Então, se cair 7 vezes, vai levantar 8.

Respirar bem fundo.

E tenta de novo. Porque o mês tá acabando, mas ainda tem muito ano pra gente vencer.

A regra é clara, a gente não vai conseguir vencer sempre, mas vamos tentar com muito afinco não nos sentirmos derrotados todos os dias!

Saiba, ninguém aqui veio para desistir. Isso inclui você!!

Então, bora sacudir a poeirinha da roupa, seguir em frente e…

#VamoQueVamo

 

Foto por Julian Jagtenberg em Pexels.com