Título/Autor(a)/Editora: A playlist de Hayden, Michelle Falkoff. Novo Conceito.

Avaliação: Criando a playlist da minha vida.

Olá, humanos!

Vindo direto da terra dos e-books, temos uma resenha novinha em folha!

Nesse livro, acompanhamos Sam, um adolescente que acabou de perder o seu melhor amigo, Hayden. Entre os fragmentos de confusão relacionados aos porquês, está uma playlist que o garoto deixou.

Cada capítulo traz uma música e saibam, escutar enquanto lê faz com que a experiência seja muito mais impressionante (e pesada, tendo em vista que as canções são, em sua maioria, bem deprimentes).

Durante sua longa amizade, ser geek, discutir música (que nem sempre eram estilos iguais, algo que gerava brigas) , ir à loja de quadrinhos e jogar World of Warfare era a vida deles. E tudo funcionava bem, na medida do possível (Sam e Hayden eram meio isolados do mundo. E havia a trifeta do mal, composta por Ryan – irmão de Hayden- Jason e Trevor).

O trio, junto com os pais de Hayden, inclusive, gera uma reação de raiva em Sam durante o funeral do amigo. Situação que torna Sam suspeito quando dois integrantes da trifeta são atacados.

Nesses dias que seguem a partida de Hayden, Sam aprende mais sobre o amigo, conhece novas pessoas, como Astrid, uma garota pela qual ele automaticamente se atrai. Os dois se aproximam e Sam descobre muitas coisas sobre Hayden através dela.

E a história mostra, aos poucos, os segredos que envolvem o último dia de Hayden e uma festa que ele insistiu para Sam acompanhá-lo, anda que eles são fossem o tipo de pessoa para esses rolês. Os detalhes que se encaixam a cada capítulo e tornam “entendíveis”, os motivos que levaram Hayden a fazer o que fez.

Sam tenta montar o quebra-cabeças através da playlist, de histórias contadas por Astrid e, algo muito importante, o computador de Hayden (item entregue a Sam pela própria mãe do amigo). Nele, Sam descobre fatos significativos sobre seu amigo. E percebe que mesmo sendo próximo de alguém, sempre existem alguns mistérios e segredos.

Ao longo da narrativa, vemos Sam tentando lidar com a falta do seu único amigo e o sentimento de culpa. Também enfrentando a insônia, horas no videogame, um novo amor e uma pessoa misteriosa que manda mensagens como se fosse o seu amigo.

Ver como esse adolescente junta cada parte de uma situação trágica, os detalhes que levaram seu melhor amigo a desistir desse mundo é algo desesperador e triste. Perceber como, não importa quem seja o maior culpado (aquele que fez bullying ou que não soube ver os sinais), nada disso muda a situação. Não se pode trazer alguém de volta.

Esse livro trata de um tema pesado, aliado com uma playlist de partir o coração e situações em que combinadas, encurtaram a vida de um jovem. Finalizar a leitura trouxe a necessidade de agradecer por aqueles que nos acompanham e o entendimento de que sempre há uma saída, nada é definitivo, ainda que pareça terrível. Pedir ajuda nunca é uma fraqueza!

Leiam e depois digam o que acharam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.