activity-adult-adventure-669006.jpg

Antes de começar um texto gigante e motivacional que vai culminar em uma resposta maravilhosa e esclarecedora, já vou dar spoiler…

Pelo menos não é spoiler de GOT ou Vingadores!

Continuando… sobre a resposta para essa pergunta elementar: não sei. E é bem possível que eu NUNCA descubra.

Mas o simples fato de eu ter finalmente aceitado isso é bem catártico, não vou mentir. Dá um alívio.

Se pararmos para pensar, passamos tanto tempo tentando entender a lógica das coisas que esquecemos que às vezes não há lógica nenhuma.

E tá tudo bem.

Como uma pessoa que tem questões matriarcais (e ainda impactada pelo recente feriado) eu posso dizer que o mergulho é mais profundo do que os nossos pulmões podem aguentar.

Superproteção, julgamentos, traumas. Fatores que, em muitos momentos, danificam algumas fiações dos filhos que terminam presos nas bolhas de criação

Ser mãe é complicado, imagina lidar com os seus monstrinhos internos e inserir o de outro (ou outros) no rolo?

Por muito tempo eu não entendi, não aceitei e quis largar a mão de tudo, mas, sabe o que eu percebi? E você, Padawan, precisa, também?

Somos todos HUMANOS.

Issaê! Eu, você e as nossas mães.

Humanos imperfeitos que lutam para sobreviver todos os dias aos nossos maremotos internos (às vezes com mais gente no barco).

Dá pra perceber que não é fácil pra ninguém, né?

Não digo isso para sermos condescendente com as situações, mas para termos mais paciência, compaixão e empatia.

Em alguns momentos, nós usaremos toda a força possível para entender as atitudes, por melhores que forem as intenções.

Vamos ter que separar o que é nosso é o que foi incutido na nossa cabeça.

E teremos que cortar o cordão umbilical pela segunda, terceira ou quarta vez.

Mas será necessário. Pra gente crescer. Evoluir.

Cair de vez em quando.

Mas alcançar aquilo que temos potencial ser. (E que as nossas mães sabem que podemos atingir. Mas têm medo do nosso sofrimento e do delas)

Então vamos lá! Um passo de cada vez, engatinhando até andar.

E não esquecendo de viver. Porque o pior medo que podemos ter é o decepcionar quem nos ama. Isso inclui, principalmente, nós mesmos.

#AmorPróprioGalerinhaaa

Photo by rawpixel.com from Pexels

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.