Título/Autor/Editora: Quero ser vintage, Lindsey Leavitt. Editora Saraiva/Benvirá

Avaliação: Escondendo o celular para fugir um pouco da tecnologia!

Comprei esse livro despretensiosamente em mais um daqueles momentos de “MEU DEUS OLHA ESSA PROMOÇÃO! ”. Eu faço muito isso e a minha estante abarrotada continua a me julgar diariamente.

Em todo caso, escolhi levar o livro para a viagem do feriado e não é que ele me cativou a ponto de, em um dia, já ter finalizado, suspirado e desejado mais páginas?

É uma história simples, mas muito legal. A nossa “heróina”, Mallory, é uma adolescente de 16 anos, filha mais velha, estudante do segundo colegial e com uma pequena tendência a desistir dos projetos. Sua melhor amiga é a irmã mais nova, Ginny, que namora Jeremy há 13 meses. Seus pais brigam constantemente e ela trabalha com o pai, que largou o lucrativo ramo imobiliário para vender objetos usados e antiguidades, avaliando e encontrando coisas que possam ser vendidas.

Acho que já deu para entender um pouco da dinâmica da vida de Mallory. Ela não tem muitos amigos e não é muito ativa na escola (diferente da sua atlética irmã que está em diversos times de futebol e é bem sociável).

Em todo caso, a história narra a vida de Mallory após um traumático acontecimento on-line acaba com o seu relacionamento. Culpando a tecnologia pelo “degringolamento” do namoro e, enquanto estava arrumando as coisas na antiga casa da sua avó, Mallory decide começar um novo projeto. Ser vintage!

Mallory adora listas (aliás, isso é muito legal no livro porque TODO capítulo começa com uma lista!! É tão divertido!!) e durante a busca por objetos “vendáveis”, encontra a lista que sua avó fez quando tinha 16 anos. Entre os itens que ela queria completar estavam: fazer o próprio vestido, ser secretária do grupo de motivação escolar e ter um relacionamento sério.

Após fazer as contas, Mallory descobriu que a lista era de 1962 e seu novo projeto teve início: Ela não usaria nada que tivesse sido feito/criado após essa data. Sem celular, sem computador, sem as redes sociais (que, por sinal, foram a causa do fim do namoro) e até sem o seu despertador! Segundo o plano, ela só voltaria aos moldes atuais após completar a lista.

Mallory, com a ajuda (até um pouco bruta, às vezes) de sua irmã, faz de tudo para ser vintage. Compra algumas roupas da época, pára de usar tecnologias e até cria o grupo de motivação! Com isso se aproxima do primo de Jeremy, Oliver, que ela descobre ser uma ótima pessoa, um excelente amigo e alguém com quem ela adora passar seu tempo.

Entãooooo, como não se interessar por essa premissa? A gente nem imagina como seria ficar sem nossas tecnologias hoje em dia. O Tumblr que
uso nesse momento não existiria, eu teria que gritar pelas ruas essas porcas
resenhas! E não teria comprado tantos livros em lojas pela internet! Eu mal
consigo ficar 5 minutos sem tirar o celular da tela de descanso. É quase um
TOC!!

Quem se interessou pode ler a história e ver como Mallory consegue lidar com esse mundo completamente diferente, como ela aprende mais sobre si mesma e descobre coisas muito importantes sobre a sua família, além de suas recaídas tecnológicas!

Essa é a resenha de hoje, até mais, humanos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.