Título/Autora: Um mais um. Jojo Moyes.

Avaliação: Pegando a calculadora para as contas difíceis.

Bom, não é segredo que eu tenho uma relação instável com a Jojo. Depois de não me adaptar ao o ritmo de leitura de “Como eu era antes de você”, entrei na bolha do mimimi contra as outras obras da autora.

Eu sei, isso não está certo e nós temos que abrir o coração para novas tentativas. Não é porque a primeira vez não funcionou que as outras serão ruins. Regra da vida, humanos! HAHAHAHAHA.

Mas o fato é que, depois de muita insistência das minhas colegas de firma, eu aceitei no coração que “Um mais um” merecia uma chance! E, cara, que bom que eu fiz isso.

A história narra a trajetória de Jess, uma mulher que é faxineira, garçonete e tudo o que for necessário para sobreviver e criar seus dois filhos, Tanzie, de 10 anos e um gênio da matemática, e Nicky (que é filho do ex-marido de Jess, mas ela o cria como se fosse seu), um adolescente que sofre bullying dos Fisher, garotos do bairro deles, por ser diferente.

E, no meio dessa vida maluca, ela conhece Ed, um homem que está, atualmente, sendo investigado pela polícia por dar informações
privilegiadas de sua empresa para uma mulher com que ele teve relações e queria “se livrar”.

Entre as muitas coisas legais que esse livro tem, há o fato de ser narrado através de 4 pontos de vista diferentes. Tudo bem, o ponto de vista do Nicky não é tão recorrente quando o da Jess. Mas é bem interessante perceber como cada um entendeu e sentiu a situação, como a interação entre eles é e a importância que cada um dá para certas atitudes, sinais e detalhes durante o tempo que passam juntos. Acho que, graças a isso, eu curti mais e li como se não houvesse amanhã!

Além disso, ele mostra problemas que qualquer um poderia ter, personagens com os quais me identifico, diálogos reais, situações palpáveis e “desgracentas”, mas que não fazem com que a gente perca a fé na vida e nos humanos. Algumas horas até me arrepiei.

Sem dar muito spoiler, o fato é que todos esses personagens acabam dentro do carro de Ed, indo para a Escócia levar Tanzie a uma
competição de Matemática que, se ela ganhar, financiará seus estudos em um colégio particular.

(Adicione um cachorro peidorreiro a um carro que leva uma menininha que vomita caso a velocidade ultrapasse 65km/h e você terá o circo armado).

Há tensão com Jess sendo cabeça dura, Ed não entendendo a realidade de outras pessoas e precisando olhar mais para o seu próprio umbigo, as crianças aprendendo a lidar com fatos relativos ao seu crescimento e um cachorro que tem o seu valor, mesmo não parecendo grande coisa.

Além disso, existem bons momentos de fofura, romance e, é claro, um bom drama que a Jojo curte!

Esse título não poderia ser mais adequado. Um mais um, diferente de muitas histórias, nenhum personagem se anula para rolar química, eles se tornam melhores somando suas qualidades. Eles não se subtraem, eles se multiplicam!

Gostei muito e indico para as pessoas que curtem um romance leve, mas estejam preparados para reviravoltas do destino (não tão pesadas, ainda assim, tensas!)

Vão ler, humanos! E até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.