image

Avaliação: Mandando e-mails coletivos para ver se algum desconhecido me responde. #SddsHotmailComoE-mailPrincipal

Tem alguns livros que você sente vontade de ler e, despretensiosamente, após cansar-se da leitura do dia, pega só para ver as primeiras páginas.

Isso foi o que me aconteceu hoje com @mor. Fui dar uma olhadinha na minha recente compra e, qual não foi a minha surpresa ao reparar que aquele livrinho que eu abri à meia noite para ler me manteve acordada até às 3 da madrugada?

Um livro curto, todo contado através de e-mails (Um tipo de narrativa que me encanta, e-mails, sms, notinhas). Admito que eu alguns momentos eu gostaria de ultrapassar a esfera virtual, estourar a bolha, ser o narrador onisciente e ver a cena de fora, mas é tão intrigante, frustrante e interessante (e patrocinado pelo sufixo ante) a leitura dessa forma que eu aceito a escolha do autor (humilde).

Passava a página e já queria saber mais sobre a relação entre Emmi e Leo! O que começou com um e-mail errado encaminhado por Emmi (ela tentava cancelar a assinatura de uma revista e o e-mail para fazer isso era muito parecido com o de Leo, que, ironicamente, já havia recebido algumas mensagens muito parecidas).

Após a primeira resposta de Leo, indicando o erro, acredita-se que não ocorrerá novamente esse equívoco, mas a digitação cotovelar (como eu explico as minhas constantes falhas de digitação) fez com que Emmi mandasse mais mensagens erradas e assim começa uma interação “internética”. Uma relação que, por diversos motivos, não deveria ir para frente, mas acaba sendo mais forte do que eles imaginam!

Ao longo da história, conhecemos, juntos com os personagens, os fragmentos de personalidades e tentamos montar o quebra-cabeça que é imaginar alguém que não conhecemos pessoalmente.

Às vezes os personagens, no alto de seus ciúmes, inseguranças ou bebedeiras constrangem a gente com a suas verbalizações excessivas e desnecessárias, criancices ou interpretações equivocadas. Mas como bom humano passível de erro eu deixo relevo esses momentos irritantes deles porque a leitura vale a pena! (E acredite, eu tenho um nível mediano de aceitação de mimimi literário…)

Quem nunca falou com um desconhecido e depois ficou imaginando todos os detalhes, físicos e psicológicos? (Que atire a primeira pedra quem nunca adicionou alguém no extinto MSN sem conhecer a fuçar do rapaz/moça).
Obs: O notasdaleitora não julga o que você escreveu no Bate Papo Uol (hahahaaha), mas não garantimos que falar com desconhecidos seja sempre a melhor idéia. #SegurançaNaInternet.

A cada e-mail, mensagens em caixa alta, fofas, ácidas, embriagadas ou comprometedoras, somos levados como uma avalanche por essa dupla que nos encanta com sua interação ágil e cativante.

Um livro super rápido, nada muito pesado, de questionar a vida, o universo e tudo mais, mas que faz a gente suspirar e não desgrudar das páginas. Apaixonante!

Agora vão vomitar arco-íris literários, humanos! Com muito @mor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.